Carregando...

5 atrações imperdíveis para descobrir na Serra Gaúcha

No passado, a Serra Gaúcha não era sinônimo de possibilidade de neve e de fondue quentinho. Não, senhor. Era justamente a possibilidade de fugir do calor no verão ou a expectativa de encher os pulmões de ar puro que motivavam as temporadas naquela região.

Mas, tudo mudou quando os hotéis se prepararam para receber os visitantes no inverno, promovendo o ambiente propício para enfrentar o frio em grande estilo.

Pouco a pouco, a região foi se desenvolvendo e deixando florescer atrativos que deixam os olhos das pessoas brilhando: lagos, hortênsias, Natal Luz, Festival de Cinema, esportes radicais e vinho. Claro que não nessa sequência, mas com o grande denominador comum, o clima frio o qual se diferente dos demais pontos do Brasil. Além da sensação de estar em terras europeias sem sair do país, um grande custo-benefício.

O que fazer em Gramado?

Gramado é um destino popular e a certeza de passar um tempo bem gostoso. A cidade é bem receptiva e projetada para entreter ao turista da melhor maneira, porém sem deixar o charme de lado.

O centro é um graça e bem fácil de circular a pé. Com alguns pontos turísticos para conhecer, como a Igreja Matriz de São Pedro, o Palácio dos Festivais, Praça do Amor Eterno, dentre outros. Um detalhe que irá dar água na boca são os cafés, lojas e fábricas de chocolate.

Uma coisa é séria em Gramado: voltar a ser criança no Mini Mundo. São réplicas em miniatura de 24 pontos do Brasil e do mundo. Não se esqueça de conferir o Jornal Mini Mundo entregue na entrada da atração e saber mais o que está rolando no lugar! Outro mundo apresentado é do Chocolate, com 200 esculturas de puro chocolate e 2 toneladas de pura alegria.

O Lago Negro tem umas história inspiradora. Após um incêndio da floresta local, os moradores tiveram que abrir um buraco para conter as chamas. O buraco virou um lago e ganhou dos moradores uma floresta nova, replantada com mudas de árvores da Floresta Negra da Alemanha.

Para os aventureiros de coração, o Snowland é o lugar perfeito. Com temperaturas que podem chegar a -5°C, montanha de neve e a possibilidade de montar um boneco de neve, é uma opção que agrada a família inteira.

As atrações não param por aí. Tem de tudo um pouco, como o Museu de Cera, o Super Carros, Hollywood Dream Cars, Museu do Automóvel e a Aldeia do Papai Noel, palco do Natal Luz – uma atração tão famosa que atrai pessoas de todos os cantos para sentir o espírito natalino que só Gramado pode oferecer!

Gramado é um destino que carrega em si todos os requisitos para ser uma boa experiência na Serra Gaúcha.

O que fazer em Canela?

Falar de Gramado e não mencionar Canela é quase impossível. Essas duas cidades praticamente se complementam e oferecem um mundo invernal com muitas experiências fantásticas para toda a família. Não importa se para criança, adulta ou idoso. Alguma atração será a sua cara!

Quando se pensa em Serra Gaúcha, logo associa à imagem da Catedral de Pedra, em Canela. Bonita de dia e à noite, quando um show de luzes a enfeita. Para quem quer sentir de perto a própria serra, com os bondinhos aéreos que ficam no Parque da Serra. A vista é a atração, principalmente com a visão da Cascata Caracol.

Se você quer parques de diversões, em Canela também tem. É o Alpen Park que convida a todos para se permitir se aventurar nas montanhas-russas, elevador, cinema 4D, carrinho de bate-bate e trenó. Mas, se procura por uma alternativa de entretenimento para as crianças, o Vale dos Dinossauros é ideal para encantar os pequenos com réplicas das criaturas que povoaram a Terra há milhões de ano.

O que fazer em Nova Petrópolis?

São 34 km que separam Gramado de Nova Petrópolis, além de mais uma opção de passeio para sair da zona de conforto. Afinal, viajar é se aventurar pelo desconhecido. E essa alternativa vai agradá-lo, com toda certeza!

É uma pequena cidade simpática desenhada pelos imigrantes alemãs que tem um apelido bem florido: Jardim da Serra Gaúcha. Tanta beleza não poderia ter inspirado a Rota Romântica e muitos motivos para ir visitá-la.

Vale passear pela Praça das Flores com seus labirintos de arbustos e lojinhas que divertem o visitante. O Parque Aldeia do Imigrante é um lugar que traz as tradicionais festividades da cidade e guarda construções do estilo enxaimel. O Parque Esculturas Pedras do Silêncio conta a história da chegada dos alemães à região através de esculturas no silêncio das pedras. O Ninhos das Águias é um ponto de encontro dos paraquedistas e de quem quer tomar seu chimarrão com a vista do Vale do Caí.

Se você não dispensa uma boa cerveja, em Nova Petrópolis, tem boas cervejarias. Agora se gosta de comer bem, o município oferece um café colonial bem reconhecido e que não deixa nenhum freguês reclamar!

O que fazer em Garibaldi?

É bem possível que alguma vez na vida tenha escutado o nome Garibaldi. Não é à toa! Guiseppe Garibaldi foi considerado um “herói dos mundos”. Veio da Itália, em 1835, fugindo da morte, depois de lutar na “Itália Jovem”. Chega ao Rio Grande do Sul e se junta com os republicanos da Revolução Farroupilha, contra as forças imperiais. Suas ideias se uniram ao da nova terra que queria liberdade. Foi tão importante que empresta o nome à cidade que também não é qualquer uma.

Garibaldi é a “capital brasileira do espumante”. Porém, mais que uma desculpa para brindar e festejar, Garibaldi guarda uma delícia de lugar na Serra Gaúcha. A princípio, os motivos de festa se encontra na “Rota do Espumante”. Centenas de vinícolas para provar, incluindo a Vinícola Peterlongo e a Chandon. Comer também faz parte desse trajeto. É um verdadeiro encontro gastronômico com influências dos imigrantes italianos. A culinária se constrói a partir da tradição, contudo utilizando os produtos da própria região.

O clássico dos passeios é de Maria Fumaça, que já é tradicional e deve conter no roteiro. Aproveite para dar uma volta pela cidade a pé ou pelo Tim-Tim, um caminhão adaptado, para conferir a arquitetura do século XX de influências europeia.

O que fazer em Bento Gonçalves?

Assim como Garibaldi, Bento Gonçalves integra o Vale dos Vinhedos com a “Rota dos Vinhos”. A cidade é conhecida por suas parreiras que bordam a paisagem bucólica. O vinho é quase uma entidade por essas bandas, fazendo-se essencial ao modo de viver do lugar.

E, com um convite, fazendo as palavras do poeta francês Baudelaire: “É preciso estar sempre embriagado. Com o quê? Com vinho, poesia ou virtude, a escolher. Mas embriaguem-se!” Contudo, é prudente ter moderação para poder aproveitar tudo que a cidade proporciona.

Tem vinícola. Tem degustação. Tem gastronomia a la italiana. Tem natureza. Têm várias rotas. Tudo em um único lugar. O ponto forte é o turismo de experiência, com a possibilidade de mergulhar na cultura, como o “Caminho das Pedras”. Uma espécie de museu vivo da cultura camponesa dos italianos imigrantes.

No Vale do Rio das Antas também se prova essa relação bucólica com a Serra Gaúcha e um passeio pelo Parque Temático da Uva e do Vinho, especialmente criado para que o visitante conheça todo o processo de produção da bebida dionisíaca.

Comer é divino e por lá, a Rota das Cantinas irá mostrar o que o italiano sabe fazer na mesa. Fartura, história e tradição.

A Serra Gaúcha é um misto de opções de entretenimento que vai muito além do próprio frio. Tem encantamento, tem história, tem memória e muitas experiências boas para vivenciar!

Não é associado? Acesse nosso site e entre em SEJA ASSOCIADO! Comece agora mesmo as suas próximas férias.

Deixe um comentário