Carregando...
''

7 lugares para conhecer no Brasil neste inverno

Dizem que sempre há calor na linha abaixo do Equador, mas a dança das estações tem o poder de transformar a natureza e agora é a hora é a vez do inverno por aqui. Há quem duvide que por aqui existam destinos com esse perfil – por isso, separamos algumas dicas de lugares para conhecer no Brasil neste inverno.

Tradicionalmente, o Brasil é lembrado pelas suas praias, pelo calor contagiante e dos termômetros marcando a casa dos 40 °C – ou até mais. Contudo, nos meses de junho a setembro, as baixas temperaturas pedem um cobertor quentinho, uma taça de vinho e visitar lugares interessantes nesta estação.

Temos opções para todos os gostos! Se você não abre mão de um roteiro repleto de história, você encontrará. Se é um apreciador de vinhos, temos uma ótima dica. Se quer ter um tempo romântico a dois, opções não faltarão. E, se a aventura é algo inerente à sua identidade, aqui você encontrará o roteiro perfeito.

Aponte a sua bússola, arrume as malas com casacos e cachecóis e vamos aproveitar um pouco da estação que tem muito para surpreender você:

.1.Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul – campo, fartura, vinho e uma viagem pelo tempo

02-INTERNA-7Lugares

O vinho é uma das bebidas mais apreciadas no mundo e acompanha muito bem esse clima serrano e histórico de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul. A região produz 70% de todo vinho proveniente da Serra Gaúcha, sendo uma das principais regiões viníferas do país.

O triângulo gaúcho gira em torno do seu principal produto e são uma ótima opção, dentre outros lugares para conhecer no Brasil, voltada para o enoturismo. Há algumas vinícolas para se visitar e vivenciar a experiência da produção da bebida – e, claro, poder prová-los.

Entretanto, não só de vinho que vive o homem, mas sim de muitas outras experiências, especialmente as imersivas.

Dizem que toda a felicidade é encontrada na jornada e isso fica ainda mais especial quando sob trilhos. O passeio na Maria Fumaça leva o visitante a percorrer a própria história em 23 km entre cidades próximas como Garibaldi e Carlos Barbosa.

Para quem não dispensa um passeio de bicicleta, por lá também tem. Entre parreiras, o turista pode conhecer mais da narrativa presente nas raízes europeias, nas construções e na cultura regional. Tudo ambientado no melhor espírito italiano: música alta, mesa farta e vinho.

Revisitar a história é um exercício que faz com que o passado se altere com a sua jornada. E em um passe de mágica, você estará imerso no século XIX entre tarantelas e trabalhos campesinos.

Uma das máximas italianas, “mangia che te fa bene” é sentida literalmente nessa região. Afinal, comer e beber são atos que expressam uma parte da narrativa local em forma de cheiro, sabores e texturas. E por lá, você irá se deliciar com o melhor galeto que já provou na vida, um verdadeiro encontro.

2.Gramado – Amor, esportes de inverno e cinema na Serra Gaúcha

06-INTERNA-7Lugares

A influência bavária não está visível apenas na arquitetura de Gramado, mas também nos fondues, bons restaurantes suíços e na neve que timidamente dá as caras no mês de julho. Com certeza, é o pacote completo que todo turista busca na Serra Gaúcha.

Todos já sabem que frio combina com romance, aventuras na neve artificial a menos de 2°C e com os queijos emmental e gruyère. Com certeza, essa combinação faz esquecer a sensação térmica quase negativa que faz nas ruas. Ainda mais com aquela atmosfera quentinha proporcionada pela lareira do hotel.

Se você procura por lugares para conhecer no Brasil que tenha uma porção de romantismo no ar, Gramado é a sua escolha. Um passeio de pedalinho no Lago Negro, uma visita ao Le Jardin com as suas lavandas ou ir à fábrica de chocolates são perfeitos para partilhar momentos especiais a dois.

Para famílias, há roteiros que contemplam a todos. Crianças e adolescentes não poderão dizer que ficarão entediados com os esportes de inverno no parque temático Snowland. Neve não falta para praticar esqui ou snowboard com segurança e muita diversão.

O charme é a essência da cidade e está presente em várias nuances, incluindo o cinema. No final de agosto acontece o Festival de Cinema de Gramado – um momento importante para a produção cinematográfica brasileira, que ao longo de mais 40 anos, pôde se transformar e consolidar no âmbito do audiovisual.

.3.Campos de Jordão – Música clássica, natureza e agito

03-INTERNA-7Lugares

Na Serra da Mantiqueira, Campos de Jordão é um destino certo nos meses de inverno. Para muitos, talvez um pouco batido, mas ainda sim um bom lugar para conhecer no Brasil que costuma agradar bastante. O frio é uma certeza, além dos sons de violinos, trompetes e pianos pelas ruas.

A música clássica ganha espaço durante o Festival Internacional de Inverno, cuja atmosfera de erudição levam aos auditórios e às praças públicas um pouco das orquestras e corais, rompendo um pouco com a agitação do público que circulam nas ruas do Capivari.

As temperaturas médias baixas convidam o visitante a colocar o seu gorro, botas e agasalho para conhecer a Pedra do Baú, a fábrica de cerveja Baden Baden e restaurante renomados com deliciosos fondues.

Campos de Jordão acabou sendo eleita a Suíça brasileira e conquistando os corações de todos.

4.Monte Verde – Aconchego na lareira e aventura nas alturas

07-INTERNA-7Lugares

Monte Verde está localizada entre São Paulo e Minas Gerais, na Serra da Mantiqueira. É conhecida por ser um destino para casais apaixonados e para quem procura por esportes de aventuras. Tem para todos os gostos!

Essa dicotomia se dá pelo frio de serra convidativo para estar mais próximo de quem se ama – mas também é um convite para se mexer, escalar e atingir um pouco do céu.

Embora seja o segundo maior pico de maior altitude do estado de São Paulo, Monte Verde oferece muitas opções de práticas de esportes radicais, como as trilhas pelo Parque Ecológico Verner Griberg. A trilha da Pedra Redonda é a mais famosa e de fácil chegada e tem uma vista pela região montanhosa de Minas e São Paulo.

Comer bem também é algo que se vai encontrar por essas bandas. Muitos restaurantes interessantes, culinárias mineira, alemã, italiana e rodízio de fondues, além de chocolates, compotas, embutidos e cerveja.

.
5. Domingos Martins – Cores que encantam, parque estadual e natureza

04-INTERNA-7Lugares

O Espírito Santo tem praia, mas também tem serra. Consequentemente, um friozinho que nos meses de inverno se torna digno de muito agasalho, um bom cobertor ou agitação dos esportes radicais para mandar embora as baixas temperaturas. E um dos lugares para conhecer no Brasil que vale a pena é Domingos Martins.

Perfeito para quem gosta de alturas, 90% dessa região estão a 500 metros de altitude, com seu ápice de 1902 metros de altitude. Escalar essa pedra é um exercício que desafia a muitos e promove o gostinho de liberdade indescritível.

A região não deixa nada a desejar em comparação ao sul, incluindo a tradição europeia. Aquele ar folclórico com danças, gastronomia típica e história são a roupagem que vestem a narrativa daquela região.

É uma cidade bem tranquila, com essa pegada de love in the air, formando um tempo desacelerado, ideal para momentos de descansando. O frio atípico para o padrão brasileiro, somados às acomodações encantadoras, criam momentos de paz.

Porém, a paz pode ser buscada de outras maneiras. A natureza é uma atração à parte que inevitavelmente transmite paz e, ao mesmo tempo, força. Estamos falando da Pedra Azul e a Rota do Lagarto.

Da BR-262, já é possível ver a cauda do lagarto e a Pedra Azul, que dizem que  se transforma em outras 36 cores diferentes ao longo do dia. Há ainda outros picos mais altos, com a Pedra das Flores que atinge 1902 metros de altura e vale também a visita.

A área conhecida como Cinturão Verde tem a segunda maior porção de Mata Atlântica do Brasil, piscinas naturais e o rio Jucu. A vegetação nativa é encontrada, sobretudo, nos picos mais altos, mas é na cidade que se encontra o Parque Estadual da Pedra Azul, com seus 1204 hectares de preservação.

Para os entusiastas de esportes de aventuras, este roteiro possui um portfólio recheado de emoções: trilhas, piscinas naturais e escaladas. Afinal, nem o céu é limite.

.
6.Araxá – Águas que curam, fonte da juventude e queijos

01-INTERNA-7Lugares

Reza a lenda que Dona Beja, uma personagem ícone do folclore e história de Araxá, tomava da fonte da jumenta  para ter beleza e juventude.

Não se sabe da veracidade da história, contudo, uma coisa é certa: as águas termais de Araxá podem curar – de uma forma ou de outra, medicinalmente ou relaxando. E, no friozinho do inverno, cai muito bem fontes de águas quentes naturais. Além de fugir dos itinerários tradicionais.

Hotel pode ser ponto turístico? Pode sim. O Tauá Grande Hotel Termas de Araxá possui um jardim com a assinatura de Buler Marx, da década de 30, sendo um patrimônio tombado pelo seu teor histórico e detém do título de ser o maior spa de águas sulfurosas e radioativas do Brasil.

Essas águas correm o ano todo, principalmente por ser parte do Circuito das Águas de Minas Gerais. Sem dúvidas, um lugar para conhecer neste inverno para quem procura por meditação, yoga, pilates e o momento consigo mesmo muito importante para ter-se um respiro e meio ao caos da nossa sociedade. Aqui é para e não pira, literalmente!

Para os amantes de queijos, Araxá é a porta de entrada da Serra da Canastra. Você encontra queijos típicos em fazendas da região – e pode ter a certeza da sua autenticidade. A marca registrada está no leite, no clima e no modo de fazer que ainda permeiam a tradição entre gerações.

7. Lugares (frios!) para conhecer no Nordeste

No Nordeste também se faz frio. Talvez não tão intenso como no Sul, porém, a temperatura chega a cair no inverno em regiões de serra.

05-INTERNA-7Lugares

Em Garanhuns, a zabumba marca o compasso, chama para dançar e participar do Circuito do Frio de Pernambuco e oferece o Festival de Inverno. Embora o forró esteja contido nos alicerces da cultura pernambucana, o jazz também entra em cena nesses meses mais frios.

E agora, como viajar?

Já dizia o poeta que viajar é preciso e há muito mais lugares para conhecer no Brasil que valem a pena para se jogar na estrada. Mas, com tantas opções em mãos, como fazer para viajar? Simples, com os 7 passos para elaborar um plano de viagens sem falhas, no frio ou no calor!

Deixe um comentário