Carregando...
''
capa-blog

Florianópolis: A magia que não vem só do mistério

A capital catarinense traz encantamento por meio da cultura e de belezas naturais que vão do luxo à simplicidade das praias de pescadores

 

Naufragados

 

Se Florianópolis carrega o apelido de Ilha da Magia, o folclorista e antropólogo Franklin Joaquim Cascaes (1908-1983) tem muito a ver com isso. O estudioso, que também tinha diversos talentos artísticos, dedicou 30 anos da sua vida à pesquisa da cultura açoriana, povo da Região Autônoma dos Açores (Portugal) responsável pela colonização de Santa Catarina em meados do século 18, e deixou registrada toda sua pesquisa em peças de cerâmica, madeira, gravuras em nanquim e escritos que relatam as histórias contadas pelos pescadores sobre as lendas de bruxas e feiticeiras que apareciam vez ou outra para assombrar os habitantes da Ilha.

A tradição da oralidade, passada de geração em geração pelos manezinhos (como são chamados os nativos popularmente), somada a curiosidade e ao talento de Cascaes fizeram com que Florianópolis resgatasse e cultivasse até hoje a memória ligada à magia, tão presente em sua identidade cultural fortemente influenciada pelas crenças portuguesas. As expressões da cultura açoriana podem ser vistas nos bairros Santo Antônio de Lisboa e Ribeirão da Ilha, ambos mantêm preservados os costumes e as casinhas coloridas, como na Casa Açoriana Artes e Tramóias, que funciona como um centro cultural, onde é possível conhecer de perto a arquitetura e também o artesanato produzido na região.

ponte-hercilio-luz

Mas nem a cultura riquíssima nem o principal cartão-postal da cidade, a Ponte Hercílio Luz, fazem frente ao principal destaque de Floripa: as praias. Tem para todos os gostos e perfis, as mais tranquilas para ir com as crianças, as da badalação para jovens casais, as que são para o pessoal do surf, as que têm dunas, as quem não têm, ou seja, com 42 praias oficiais (dizem que chegam a cem contando as do continente), certamente, pelo menos uma tem mais a ver com o seu perfil. Porém, para conhecer tudo isso, tenha em mente que uma praia não fica tão perto da outra, então alugar um carro se faz necessário se a ideia for desbravar as diversas praias. Caso sua escolha seja ficar restrito a apenas uma praia e seus arredores, talvez o carro não seja necessário, mas em um paraíso como esse você vai deixar de conhecer toda essa diversidade de belezas naturais?

Fica a seu critério decidir qual a sua praia. Começamos pelas as que estão entre as mais famosas, a Praia Mole e a Joaquina são indicadas para jovens sem filhos, pois a água é forte para as crianças, já que lá o cenário é propício ao surf. Na Joaca, como é chamada pelos frequentadores, ainda tem um adicional de emoção: as dunas para a prática de sandboard (esporte realizado sobre as dunas com prancha similar à de snowboard). Ambas estão localizadas a 15 km do Centro, ao leste. No caminho de volta da praia, aproveite para conhecer a Lagoa da Conceição, o local reúne o agito noturno com bares e restaurantes ao redor, além das construções históricas e as lojinhas de artesanato.

praia-mole

As praias Jurerê Tradicional e a Internacional, esta última alcançou fama mundial nos últimos anos, também se enquadram como o point dos jovens. Localizadas ao norte da Ilha, as duas não têm uma divisa natural que as separe, mas a primeira é mais rústica e a segunda é um empreendimento imobiliário planejado cheio de casas de luxo, fato que justifica a menção de badalada e glamorosa. Se esse não for o seu tipo de praia e a ideia seja viajar em família, a tranquilidade da Praia Daniela, também ao norte, é propícia para ir com as crianças, assim como Canasvieiras e a do Forte, esta, como o nome diz, está situada próxima à Fortaleza de São José da Ponta Grossa.

Já os aventureiros que vão em busca de boas ondas e esportes radicais podem apostar na Praia do Santinho (ao norte), além da ótima ondulação, é dotada de formações rochosas e inscrições rupestres pré-históricas; a Praia do Campeche (ao sul) e a Ilha de mesmo nome são ideais para o surf e também para trilhas ecológicas, já a Lagoinha do Leste (sul) é um verdadeiro recanto para os adeptos do ecoturismo, que precisam estar com bom preparo físico para encarar a trilha de acesso a partir da vila de pescadores do Pântano do Sul ou da Praia do Mateiro.

praia-da-joaquina

E com tanta água ao redor, a gastronomia, como não poderia ser diferente, é baseada em frutos do mar com destaque para a ostra, que é preparada de diversas formas, inclusive gratinada, bem diferente do habitual consumo de outras regiões do país em que se come crua com limão. A produção de ostras no local representa 80% do mercado nacional, o que lhe confere o título de Capital Nacional da Ostra, fato que faz com que se tenha até uma festa para comemorar. O Festival Nacional da Ostra e da Cultura Açoriana (Fenaostra) é realizado, anualmente, no segundo semestre, por volta de outubro. O peixe da espécie tainha também tem alta produção e consumo principalmente durante o inverno, quando acontece o Festival da Tainha, no Mercado Público, entre os meses de junho e julho.

Se você tiver mais alguns dias disponíveis para ficar na Ilha, a capital catarinense e seu entorno têm muito mais praias e locais interessantes para explorar. A fim de facilitar a divulgação dos pontos de visitação, a Prefeitura disponibilizou o aplicativo “Minha Floripa”, que traz informações turísticas e pode ser baixado na loja de app do seu smartphone. Aproveite esse e outros recursos tecnológicos para descobrir qual a praia de Floripa que é a sua cara.

Texto Publicado na Revista Férias&Lazer – Edição 55

CLAUDEMIRA

BOM DIA. PRETENDO IR A FLORIPA EM JANEIRO. SO QUE ESTOU TOTALMENTE PERDIDA. IREMOS EU EMEU ESPOSO.
MORO EM SALVADOR- BAHIA

18 de novembro de 2017 | Responder
    Redação RDC

    Olá, Claudemira! Em nosso site você pode conferir todos os hotéis parceiros na cidade de Florianópolis. Para ajudá-la separamos a seleção de hotéis, basta clicar no link https://www.rdc-ferias.com.br/destinos/florianopolis/#/?aba=hoteis. É importante ressaltar que o Calendário de Reservas abre com 90 dias de antecedência ao mês em que você deseja se hospedar, sempre no primeiro dia útil. Portanto, se você deseja uma hospedagem para o mês de Janeiro, a partir do 1º dia útil de Outubro o Calendário estará aberto para reservas. Sendo assim, após a escolha do hotel e a abertura do calendário, entre em contato com a nossa Central de Reservas, nossa equipe poderá orientá-la em relação à disponibilidade, valores extras e na escolha de um hotel que atenda a experiência que você deseja vivenciar no destino. Nosso atendimento acontece de 2ª a 6ª, das 8h às 20h30, nos telefones (11) 2172-0250 / 4096-0250. Qualquer dúvida, conte com a gente! Obrigado! 🙂

    21 de novembro de 2017 | Responder

Deixe um comentário