Carregando...

Caxambu, um convite à hidroterapia com mordomia imperial

Vamos lá, quem não deseja beber das mesmas fontes que personagens da realeza beberam ou banhar-se nas suas águas? Ok, pode ser meio fora de moda, mas digamos que os “sangues azuis” antecipam tendências, ditam moda, sem contar a facilidade de poder usufruir do bom e do melhor, seja onde estiver. Foi assim com Caxambu, no período imperial no Brasil. Aliás, D. Pedro II e sua turma eram “caçadores de águas termais”, conheciam seus benefícios terapêuticos e tanto, que basta visitar uma tradicional estância hidrotermal pelo Brasil para encontrar uma “herança” deixada pela família imperial. Nem que seja uma placa, informando  que algum membro da família passou por ali e se beneficiou das suas águas.

04-post-caxambu

Dentre as dez cidades que compõem o Circuito das Águas de Minas Gerais, Caxambu é uma das duas cidades polo, a outra é sua vizinha, São Lourenço. Localizada num vale, nas montanhas do sul de Minas de Gerais, na região da Serra da Mantiqueira, Caxambu é uma estância termal a 895 metros de altitude, conhecida como a “Cidade das Águas”.  Uma justa homenagem às 12 fontes de águas termais, cada uma com propriedades físico-químicas diferentes.

01-post-mapa-rodoviario-de-caxambu-mg

É fácil conhecer todas elas. As fontes estão concentradas na área do Parque das Águas de Caxambu, tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais. São águas minerais gasosas e medicinais que jorram do subsolo com propriedades terapêuticas reconhecidas internacionalmente. O parque possui cerca de 210.000m2 de área entre bosques, jardins e alamedas. Oferece lago com pedalinhos, pista de cooper, quadras esportivas, além de piscinas de água mineral, um balneário e um teleférico.

06-post-balneario-do-parque-das-aguas

Com águas engarrafadas, de mesa, e também para banhos, historicamente, as águas minerais das Fontes de Caxambu são indicadas para tratamentos de problemas digestivos, hepáticos, de vesícula, respiratórios, de alergias, rins, pressão arterial, de pele, sistema cardiovascular, debilidade do organismo, anemia, reumatismos, gota, sequelas reumática e sistema nervoso, entre outros.

Cinco fontes de Caxambu homenageiam personalidades das antigas famílias imperais brasileiras, como a bela  Fonte Dom Pedro, a mais antiga e simbólica do Parque das Águas, construída em estilo greco-romano, com a réplica da coroa de D. Pedro II no interior da sua cúpula. A água que sai da fonte por uma torneira tem alto teor carbônico e é altamente gasosa, indicada como água de mesa por ser digestiva.

03-post-fonte-d-pedro-caxambu2

Dica: Conta a história, que a região era caminho e paragem de bandeirantes que viajavam em busca de ouro nas Minas Gerais. Somente no século 19, as fontes e suas propriedades terapêuticas foram descobertas e tornaram-se destino de viagem de membros da família imperial brasileira à época.

Agende um horário e reserve um momento só para você no Balneário de Hidroterapia, localizado dentro do Parque das Águas de Caxambu. De arquitetura altiva, que inclui vitrais franceses, azulejos e pisos portugueses, o balneário oferece vários tipos de banhos, como o de imersão em água mineral, piscina de hidroterapia, saunas a vapor e secas, duchas, incluindo a famosa Vichy, além de vários tratamentos estéticos.

05-post-balneario-de-hidroterapia

Também reserve um tempo para curtir uma vista diferente da cidade e de toda a região. E olha que nem precisa sair do Parque das Águas para pegar o teleférico. Ele percorre 908 metros, passa sobre o lago, sobre toda a vegetação do parque até chegar ao topo do Morro Caxambu, a 186 metros acima do parque, para uma vista aérea espetacular de toda a cidade e da zona rural. No local há uma estátua do Cristo, lanchonete e uma loja de suvenir.

Dica: De segunda a sexta-feira, das 8h às 12 horas e das 14h às 17h30.

Para conhecer um pouco mais da vida da cidade e da sua história, visite a Igreja Santa Isabel da Hungria e lembre-se da história da sua origem. Conta-se que a Princesa Isabel desejava ser curada da sua infertilidade e, graças às águas de Caxambu, ricas em ferro, curou sua anemia e conseguiu engravidar, presenteando a cidade com a igreja de Santa Isabel, cuja construção foi iniciada em 1868. Tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), sua arquitetura segue o estilo gótico, com destaque para o altar feito em madeira talhada, onde fica a imagem da santa. Vale também uma visita à Fonte Princesa Isabel e Conde D’Eu, onde a princesa bebeu das suas águas ferruginosas.

02-post-igreja-santa-isabel-de-hungria

Não saia da cidade sem levar pra casa os tradicionais doces caseiros encontrados nas lojinhas e queijarias do centro, como os doces de leite, compotas de frutas, ambrosia e geleias.

Dica: Aproveite para visitar Baependi. A cidade fica a apenas 8 quilômetros de Caxambu e é rodeada por dezenas de cachoeiras, algumas, como a de Três Quedas, formam piscinas naturais. Nas noites de sábado e domingo também há show de forró em plena praça Monsenhor Marcos, pra todo mundo dançar. Vale dar uma paradinha divertida por lá.

Quando seu objetivo de viagem incluir saúde e bem-estar, deliciosos banhos de águas termais e muita história do período imperial brasileiro inclua Caxambu no seu roteiro. Conte com as opções de hospedagem da rede de hotéis parceiros RDC na cidade e na região. Entre em contato com a nossa Central de Reservas.

Imagem capa: (via)

Deixe um comentário