Carregando...
''

Cidade do México – Templos, pirâmides e muita diversão

A capital do México abriga o maior número de museus do mundo, é apontada como uma das mais divertidas do planeta e catalogada pelo The New York Times como “A metrópole que tem tudo”. Pura verdade.  

Para curtir intensamente o lado moderno e divertido da Cidade do México, de bairros boêmios, como a Zona Rosa, hipsters como Roma Norte, de atrações excêntricas, como as famosas arenas de luta-livre, de bares típicos como as mezcalerias e restaurantes tradicionais cercados de mariachis, é essencial fazer uma imersão na história da antiga capital do Império Asteca. Mais de 150 museus ajudam nessa tarefa, além de sítios arqueológicos no coração da cidade e a poucos quilômetros do centro.

As atrações são inúmeras, mas há locais imperdíveis que devem fazer parte dos roteiros de todos que visitam a cidade pela primeira vez, porém o trânsito caótico da cidade e devido às distâncias entre os pontos turísticos (muito próximos ou afastados), é recomendado organizar muito bem os passeios e o tempo que deseja dedicar a cada um deles.

08-INTERNA-teotihuacan

Há várias formas de chegar às atrações, desde transporte público – metrô com 12 linhas e metrobús, sistema integrado, com ônibus articulados com faixas exclusivas de circulação, até ônibus panorâmicos, o Turisbus, que fazem três rotas diferentes para conhecer as principais atrações da cidade, no tipo Hop-on Hopoff. Alugar carro não é recomendável, por causa dos engarrafamentos de trânsito, prefira táxis (novos) ou lance mão do Uber para trajetos mais curtos ou mais afastados do centro. Há outras opções descoladas como os táxibikes, ou simplesmente caminhar e pedalar, por exemplo, quando as atrações estão próximas, como no Bosque Chapultepec.

02-INTERNA-bosque-chapultepec

A ordem das visitas também é importante para contextualizar e aproveitar melhor as atrações. Por exemplo, visitar o Museu Nacional de Antropologia antes de partir para a zona arqueológica Teotihuacan,  a 51 km do centro da Cidade do México.

Aproveite a tecnologia, baixe o mapa da cidade e das linhas de metrô no seu celular para consultar off-line, marque as atrações por regiões, calcule o tempo ideal para cada passeio, os custos do percurso e opte pela melhor forma de curtir a cidade mais antiga da América do Norte, fundada em 1325 pelos Astecas com o nome de Tenochtitlan, conquistada pelos espanhóis em 1521, quando recebeu o nome atual.   É uma das vinte cidades mais populosas do mundo, com quase 9 milhões de habitantes e uma das capitais mais altas do planeta, com 2235 metros em relação ao nível do mar.

06-INTERNA-piramides-teotihuacan

Comece pelo Museu Nacional de Antropologia

Sem dúvida, esta é a melhor forma de começar a viagem e entender a história do México e de seus vários povos no período pré-hispânico. Localizado no Bosque de Chapultepec, o Museu Nacional de Antropologia está dividido em 12 galerias classificadas por regiões e civilizações – maias, toltecas e olmecas e a cidade de Teotihuacán. Depois, caminhe até o Castelo de Chapultepec, hoje Museu Nacional de História do México, que fica na área central do parque, no alto da colina de Chapultepec, e oferece uma vista espetacular da cidade.

03-INTERNA-castelo-de-chapultepec

Caminhe pelo coração do Centro Histórico  

Comece pelo El Zócalo, como é chamada a Plaza de La Constitución, onde está o ponto que marca o coração da Cidade da México e também da capital do Império Asteca, Tenochtitlán. É a praça mais importante da cidade, palco de manifestações políticas e de eventos da cidade. Há vários edifícios importantes por lá. Não deixe de visitar o Palácio Nacional, que começou a ser construído no século 16, e surpreenda-se com sua maravilhosa arquitetura e com as artes plásticas que ele abriga, como painéis de Diego Rivera que contam a história do México. Depois, não deixe de visitar a Catedral Metropolitana de La Asunción de Maria, erguida sobre as ruínas da pirâmide de Tonatiuh e, ao lado dela, o Museu del  Templo Mayor com área aberta para caminhar pelas ruínas da civilização asteca descobertas no final do século 20 e salas onde estão expostos objetos do período pré-hispânico  encontrados durante as  escavações.

07-INTERNA-plaza-de-la-constitucion

Parta para ver as pirâmides de Teotihuacan

Quando os astecas descobriram Teotihuacan, a  Cidade dos Deuses estava abandonada. Eles ficaram maravilhados, mas o mistério das civilizações que habitaram a cidade com 20 mil km² continua um mistério. As atrações do sítio arqueológico são as duas pirâmides, a do Sol, com 6 metros de altura e que permite acesso até o topo; a da Lua, com 45 metros, a Calçada dos Mortos – a avenida principal da cidade com 4km de extensão; o Templo de Quetzalpapálotl; o Palácio dos Jaguares e cerca de 2 mil casas da cidadela.

Aprecie duas artes em uma

Parta rumo à modernidade. O Museu Soumaya, obra do arquiteto mexicano Fernando Romero, foi descrito como “deslumbrante”, porém impossível de ser construído. Mas foi. Por fora, a belíssima fachada composta  por 16.000 hexágonos de alumínio brilhantes e por dentro 60 mil peças expostas, a segunda maior coleção de Rodin do mundo, com 380 esculturas, obras de artistas famosos como Salvador Dali, documentos históricos, além de pinturas religiosas do período barroco novo-hispânico. O museu está localizado nas imediações do Bosque Chapultepec, no bairro Polanco, lugar de gente bonita, de bons restaurantes e com ótimos locais para compras.

 Passeie de bike pela ruas

01-INTERNA-avenida-paseo-la-reforma

Como a cidade é plana e as ruas são largas, as bicicletas são bem-vindas. De terça a domingo a prefeitura oferece bicicletas grátis em algumas zonas turísticas, como da arborizada Avenida Paseo de La Reforma, com 12 km de extensão, que margeia o espetacular Bosque Chapultepec, até o Centro Histórico. Pelo caminho, monumentos famosos como o Ninõs Heroes, o emblemático El Angél de la Independencia, o anjo dourado instalado num dos principais cruzamentos da cidade com acesso ao topo e que oferece uma bela vista da cidade,  edifícios como a Torre Mayor, o mais alto do México e ainda passagem pela descolada Zona Rosa, reduto de restaurantes, lojinhas e baladas. Há mapa das ciclovias, com rotas de passeios ciclísticos, das zonas fechadas para bike aos domingos e das estações de empréstimo de bike.

Curta a noite

04-INTERNA-cidade-mexico

Faça como os locais, suba até os restaurantes da Plaza de La Constitución, com vista para o Zócalo, para saborear delícias da cozinha mexicana, curtindo a vista fantástica da região. A área central conta com casas noturnas e bares típicos mexicanos, como na Praça Garibaldi, onde também se concentram os mariachis com seus sombreros  e músicas tradicionais. Ou vá até Xochimilco, distante 20 km do centro, e faça como se estivesse em Veneza, troque as gôndolas por traineiras coloridas e percorra os canais que cortam a região, ouvindo o som dos  mariachis, beliscando petiscos mexicanos acompanhados de uma gelada michelada – o famoso coquetel mexicano de cerveja com diversos temperos. As traineiras coloridas de Xochimilco foram declaradas Patrimônio Cultural da Humanidade, pela UNESCO.

Escolha seu bairro preferido

05-INTERNA-colonia-roma-norte

Você pode se identificar com Colonia Roma Norte, um bairro hipster, com street art decorando muros e paredes, point cultural, jovem e boêmio, repleto de bares e de locais descolados como o Mercado Roma,  espaço gastronômico com balcões e quiosques de autêntica comida mexicana, restaurantes, lojas de doces, de especiarias, de frutos do mar, lugar para ver e ser visto e ponto de baladinha diurna.

O bairro de La Condesa também é jovem, mas o estilo é diferente, envolve parques maravilhosos como o Parque México, restaurantes com mesas nas calçadas, livrarias e lojas de grife. À noite, bares lotados de gente jovem. O bairro é famoso por servir os melhores mezcais artesanais, aquela bebida feita com a planta local, manguey, portanto, diferente da tequila, à base de cana de açúcar.  Assim como a tequila,  o mezcal só pode ser produzido no México, portanto, nada mais típico.

O bairro Coyocán  respira arte. É conhecido por abrigar a Casa Azul, onde morava família de Frida Kahlo e onde a artista passou seus últimos anos. Ela foi transformada no Museu Frida Kahlo, que abriga algumas obras suas, de seu marido Diego Rivera e de outros pintores, além de uma exposição de roupas usadas por Frida e outras curiosidade.

Mais arte e também artesanato são encontrados no Bairro San Angel, um dos mais tradicionais e elegantes da Cidade do México, com bons restaurantes e espaços culturais  instalados em construções  do período colonial, como casarões e fazendas. Exemplo é a casa onde Diego Rivera e Frida Kahlo moraram que foi transformada  no  Museu Casa Estúdios.

Associados RDC podem contar a assessoria da agência RDC Viagens e com a flexibilidade de utilização do seu Plano de Férias para planejar e realizar a sua viagem.

RDC Viagens
Segunda a sexta-feira das 8h às 19h30
Telefones: (11) 2172-0270 / 4096-0270
E-mail: agencia@rdcviagens.com.br

Texto Publicado na Revista Férias&Lazer – Ed. 57

Deixe um comentário