Carregando...
''

Espírito Santo: lugar de turismo eclético

Além das lindas praias, o território capixaba tem opções de diversão na região serrana

O Espírito Santo é quarto menor estado do país, mas não tem nada de pequeno quando se refere ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Em 2010, o ranking da Organização das Nações Unidas (ONU) classificou o Espírito Santo na 7ª posição dos estados brasileiros com melhor qualidade de vida. Entre os municípios brasileiros, Vitória ficou em 4º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) – a pesquisa, realizada em 2012, mede longevidade, educação e renda. Com toda essa estrutura e localização privilegiada, entre o Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia, o estado dispõe de uma extensa faixa litorânea que favorece sua vocação turística, mas que não se resume ao turismo de praia. A região serrana também atrai muitos visitantes por causa de suas cachoeiras e clima de montanha. Seu potencial turístico, porém, não está ligado somente aos aspectos naturais, a cultura também é um fator importante de atratividade. A influência italiana, alemã e portuguesa misturada à cultura indígena e negra formam a cultura capixaba. Os indígenas, aliás, têm tanta influência que o modo como eles se referiam às suas plantações com o termo “capixaba”, que vem do tupi e significa terra limpa para plantação, mais tarde passou a denominar os moradores do estado. Além da herança indígena, a tradição pesqueira aliada à influência mineira e baiana fizeram da culinária capixaba uma atração turística. A moqueca capixaba, feita em panela de barro, que é outro elemento de origem indígena, tem reconhecimento internacional. Entenda por “moqueca” o modo de cozimento sem água, em que os frutos do mar são cozidos apenas com os vegetais e, neste caso, sem adição de leite de coco e azeite de dendê como na moqueca baiana. A torta capixaba é outro prato típico. A receita leva vários frutos do mar: siri, camarão, ostra, sururu, bacalhau e palmito para finalizar.

05-INTERNA-Vitoria

Mas as expressões culturais capixabas não se restringem à comida. O sincretismo cultural vindo de sua formação histórica traz ritmos marcantes para a cultura popular, como o congo, o jongo, a folia de reis e as danças folclóricas. As manifestações religiosas também são ponto alto para visitação, como a Festa de São Benedito, que ocorre em várias cidades do estado, e a Festa da Penha, que acontece no Convento da Penha, em Vila Velha. O Convento é um dos ícones do Espírito Santo, foi construído pelos escravos em cima de um grande rochedo de onde se pode ter uma bela vista da baía de Vitória e de Vila Velha.

Veja dicas do que visitar nas principais cidades turísticas do Espírito Santo:

Região metropolitana

Vitória

A capital reúne boas e variadas opções para quem gosta de praia urbanizada. A Praia de Camburi é a maior delas, toda cercada por ciclovia e calçadão para caminhadas e ótima para a prática de esportes aquáticos, como kitesurfe, windsurfe e stand up paddle. A Praia do Canto e a Curva da Jurema são pontos badalados porque concentram os melhores bares e restaurantes da região. A Ilha do Boi e a Ilha das Caieiras também valem a visita. Para quem gosta de atrações histórico-culturais, no centro da cidade, conhecido como Cidade Alta, tem a Catedral Metropolitana em estilo neogótico, o Palácio Anchieta que foi construído pelos jesuítas e hoje abriga a sede do governo estadual, o Teatro Carlos Gomes em estilo neorrenascentista, inspirado no Teatro Scala de Milão, na Itália, além de outras construções arquitetônicas importantes.

Vila Velha

01-INTERNA-Convento

Separadas apenas por uma ponte, a 12 km da capital, Vila Velha é a cidade mais antiga do estado. A Praia da Costa é a mais famosa e mais frequentada por apresentar uma orla bem organizada. Tem a Praia da Barra do Jucu onde é possível praticar esportes aquáticos e ver apresentações de congo. O Convento da Nossa Senhora da Penha é um dos cartões-postais da cidade e o local que mais recebe visitantes. O Chocotur, na Fábrica de Chocolates Garoto, também é muito procurado.

Guarapari

A 51 km da capital, o maior e mais famoso balneário capixaba reúne 46 praias, entre elas a Praia de Meaípe, considerada uma das mais bonitas da cidade. Quando a maré está baixa, na Praia dos Namorados e a das Castanheiras formam-se piscinas naturais, bem atrativas para as crianças. Já a Praia da Areia Preta, o principal atrativo é a areia monazítica, muito procurada por idosos, pois acredita-se que ela tem propriedades medicinais. Para quem gosta de mergulho, o arquipélago de Três Ilhas e a Ilha Escalvada são ideais.

04-INTERNA-GuarapariFundão

A cidade está localizada entre o mar e as montanhas, a 57 km da capital, a Praia Grande e a Praia do Rio Preto são as principais. O Parque Municipal do Goiapaba-açu é uma Área de Proteção Ambiental (APA) e oferece ótimas condições para aqueles que gostam de esportes de aventura.

Região Norte

Conceição da Barra

03-INTERNA-DunasDeItaunas

A cidade fica quase no sul da Bahia, a 256 km de Vitória. A faixa litorânea é extensa e as praias tem água morna durante quase o ano todo. O distrito Itaúnas é uma tração à parte, o Parque Estadual abriga dunas deslumbrantes, além de praias selvagens. A Riacho Doce é uma delas e atrai turistas que gostam de tranquilidade.

Aracruz

A 85 km da capital, Aracruz oferece atrativos turísticos variados: cultura, história, aldeias indígenas e praias, é claro. As mais procuradas são Barra do Sahy e Santa Cruz. As mais bucólicas são Gramuté e Puriti.

Região Serrana

O reflexo das imigrações europeias pode ser visto na arquitetura, na gastronomia e nas festas típicas. Venda Nova do Imigrante, por exemplo, tem a Festa da Polenta que já entrou para o calendário de eventos da região.

02-INTERNA-DomingosMartins

Mas o principal destino da serra capixaba é Domingos Martins, distante 43 km da capital, a cidade abriga o Parque Estadual da Pedra Azul, com cachoeiras e piscinas naturais, ideal para quem gosta de aventuras na natureza e também para quem gosta de boa mesa para curtir o friozinho da serra em clima de romance.

Texto Publicado na Revista Férias&Lazer – Ed. 56

Deixe um comentário