Carregando...
''

Los Cabos – Bonito dentro e fora d’água

“Do nascimento, o homem carrega o peso da gravidade nos ombros. É parafusado à terra. Mas homem só tem que afundar embaixo da superfície e ele estará livre.” Há algum tempo, um certo homem descobriu um novo mundo. Fascinado, queria mostrá-lo, explorá-lo e conquistá-lo, mas percebeu que deveria protegê-lo. Tornou-se assim um ambientalista e ajudou a refletir sobre a relação que a humanidade e a natureza possuem, destrutiva e perigosa. Esse homem era Jacques Cousteau, um oceanógrafo que foi responsável por levar à superfície mais que tesouros naufragados e os mistérios do fundo do mar, levou a consciência e a voz desse novo mundo submerso.

A sua empreitada era em prol do conhecimento, saindo em seu navio “Calipso” para entender a vida que reinava sob o poder das águas. Certa vez, em Los Cabos, na península da Baja California, no  México, afirmou que ali era o “Aquário do Mundo”. Não era para menos, o local abriga mais de 850 espécies de vida marinha, entre golfinhos, tubarões, baleias, crustáceos, toda a sorte de cardumes de peixes e corais. A vida é tão bonita dentro d’água quanto fora em sua terra semiárida cujo contraste não atrapalha em nada no quesito beleza, apenas cada qual contém uma particularidade que faz o destino ser muito mais interessante.

Los Cabos, um destino em ascensão

Los Cabos está situado na Península Baja California Sur, entre o Mar de Cortez e o Oceano Pacífico. Também é conhecido como “O fim da terra” pela reta imaginária traçada que chega à Antártica. São 12 mil quilômetros que separam a última fronteira do mundo a um oásis em meio ao deserto mexicano. Os contrastes andam lado a lado, como linhas paralelas que coexistem embora não tenham muita relação semântica. Mar cristalino ou oceano escuro- não importa. No mesmo lugar é possível vivenciar aventuras, cultura, festas e descanso – em SPAS sensacionais. Sempre iluminado pelo astro rei que brilha quase 300 dias por ano, na paisagem desértica e nas praias.

São duas cidades que compõem Los Cabos: San Jose del Cabo e Cabo San Lucas, unidos por um corredor turístico de cerca de 30 km, cercado por resorts, campos de golf e muito luxo. É importante mencionar que o local tem um áurea glamorosa com tudo que se tem direito, inclusive praias privativas.

Los Cabos é perigosa?

Uma região que teve um boom na exploração turística, enfrentou recentemente uma crise de violência que já foi controlada, e hoje, o destino figura uma grande ascensão de viajantes procurando por suas férias. A grande maioria dos turistas são americanos, devido a proximidade e acessibilidade. Contudo, é um local que deve entrar em sua lista!

Quando ir?

Los Cabos é quente no inverno e muito mais quente no verão. O ideal é ir durante o inverno, nos meses de março a julho, quando está um clima agradável e o mar em ótimas condições para o mergulho. As épocas de chuvas compreendem os meses de julho a outubro.

Cabo San Lucas – riqueza, agito e um lugar para casais apaixonados

Até um tempo atrás, Cabo San Lucas era um pacato povoado de pescadores com pouquíssima população. A transformação se deu quando souberam da sua exuberância marinha e pela sua posição estratégica isolada, fazendo que ali se erguesse no meio das simples casas dos moradores, um aeroporto, luxuosos estabelecimentos hoteleiros, restaurantes premiados e muitas casas noturnas que nunca dormem. E, claro, um refúgio para famosos.

Os contrastes são evidentes também aqui, tem atrações para jovens que querem badalações, para casais que querem curtir a lua de mel e para quem quer deixar a gravidade desparafusar da terra e descobrir a liberdade dentro do mar praticando mergulho.

> Atrações em Cabo San Lucas

Para quem não dispensa praia

O Arco – Se há uma imagem ícone de Los Cabos é justamente a formação rochosa “Los Arcos” que sai do oceano, formando estruturas trabalhadas por mãos humanas. É o ponto de encontro de colônias de leões-marinhos que tomam sol nas rochas e das arraias que praticamente saltam das águas. Sem dúvidas também é um ponto de encontro de turistas que procurar chegar perto do local. Há vários passeios que levam até o local, podendo apenas observar de dentro da embarcação ou passar o dia no lugar.

Praia do Amor – O Arco está na Praia do Amor, local romântico ideal para uma caminhada e parar para contemplar o nascer do sol. Aliás, para quem que deixar registrado esse momento, é o local certo para tirar belas fotografias. A história por detrás do local remota ao século XVIII e um amor shakespeariano: um marinheiro japonês foi resgatado por uma mulher. Eles se apaixonaram, mas o pai da  moça se opôs ao romance, ferindo em um ataque de fúria o pobre moço, que não resistiu e morreu. Desolada, a moça tira a própria vida para ficar junto do amado. O lugar é a Praia do Amor, mas há outros segredos bem interessantes para descobrir por lá.

Na década de 70, Jacques Cousteau descobriu um fenômeno natural impressionante: cascatas de areias submarinas.

Praia do Divórcio – Colada à Praia do Amor, a Praia do Divórcio é o local para a prática de skimboarding e de outras atividades aquáticas que vão bem com ondas intensas.

Praia El Médano – É a praia mais famosa e o reduto dos praticantes de esportes náuticos. Ela também é próxima ao centrinho da cidade, onde há uma variedade de bares e restaurantes, além de vendedores pelas areias brancas da praia.

San Jose del Cabo – o México colonial, mariachis e aventura

San Jose del Cabo, como muitos locais da América, foi explorado pelos espanhóis. Entretanto, o local já era povoado pelos percúes, uma etnia de aborígenes que possuíam agilidade em caçar e navegar. Há uma hipótese que comprova ainda mais as habilidades em navegação, cuja teoria abraça uma nova convenção sobre o povoamento da América. Pesquisas apontam que eles vieram da Oceania de canoa, parando de ilha em ilha. No entanto, depois de atravessar um oceano, essa etnia desapareceu no século XVIII. Mas, o lugar em si ainda continuou vivenciando inúmeras aventuras.

Viajar a San José del Cabo é ter contato com a legítima cultura mexicana. Cidade colonial datada o século XVIII, é pacata, com ruas de pedras e o oposto de Cabo San Lucas. Mais uma contradição de Los Cabos.

> Atrações em San José del Cabo

Para quem gosta de história e arte

A “Ruta de las Misiones” é a verdadeira volta ao passado para a época em que os jesuítas catequizavam a região. O seu centro histórico surgiu em 1730 com a construção de uma praça central, casario e a igreja que ainda estão em funcionamento.

A arte é bem representada, formando um circuito interessante que tem o seu auge durante a alta temporada. Todas as quintas-feiras, artistas mantém as suas portas abertas até às 21 horas e todas as vielas são tomadas por um clima de festa, com música ao vivo, comes e bebes e um clima bem agradável.

O roteiro artístico é obrigatório e há algumas galerias para já colocar em sua lista: Casa Dahlia, El Armario, Frank Arnold Gallery, Corsica, Intagrafia, Arte La Dolce, dentre outras imperdíveis.

Para quem não dispensa a gastronomia

Estar em San Jose del Cabo é comer no Flora Farms, Acre e Los Tamarindos. Mas se o que se deseja é provar outras opções mais simples, vá ao Taquería Rossy, onde se encontra tacos de peixes empanados, servidos na maior simplicidade desse mundo. Essa dica pode ser confirmada pelo Instagram ou por qualquer nativo da pequena cidade.

Para quem gosta de aventura e ecoturismo

Embora seja tranquilo e é importante estar nessa sintonia, a aventura pode sim coexistir com essa vibe. Assim, há diversas possibilidades para experimentar esse tipo de natureza e conhecer uma realidade diferente. Aliás, aqui o estilo mais predominante é o “escolha você a sua própria aventura”.

A sensação é de estar em um filme, em que uma hora você caminha pelo Cânion de la Zorra.  Em outra, o roteiro destaca a seguinte cena: sair montado em um camelo como se estivesse no Saara até chegar a um oásis chamado El Tule. Por fim, pode seguir por um caminho repleto de cactos de 300 anos de idade a cavalo até chegar ao Pacífico e galopar ao pôr do sol em praias quase inexploradas. A aventura é indescritível e o filme da sua viagem está apenas começando a ser rodado.

A adrenalina também pode ser sentida com a travessia de mountain bike até Punta Gorda ou pelas trilhas que levam à Reserva Natural de Cabo Real. O 4×4 é a essência do lugar e a velocidade é permitida sobre as dunas. O ápice da emoção é a volta por uma tirolesa que chega até 100 km/hora com 1200 metros de extensão. Há quem diga que o medo é totalmente esquecido pela vista panorâmica.

Parque Nacional Cabo Pulmo

Cabo Pulmo é um lugar em que a biodiversidade teve vez e segue intensa como deve ser. Na década de 90, escolheram seguir um plano radical que deu muito certo. Suspenderam a pesca para que o arrecife pudesse se recuperar. Do período de 1999 a 2009, o local se regenerou 463 por cento, afirmados pelo reingresso de várias espécies, inclusive grandes predadores, como o tubarão e arraias manta. O local fica nas proximidades de San José del Cabo e possui um parque marino, ou melhor, o aquário do mundo, com 711 hectares e a história exemplar de conservação.

Para conhecer o parque, recomenda-se o período entre maio e setembro, quando as águas estão agradáveis para mergulho e presenciar os corais mais antigos da América do Norte. Um organismo de cerca de 25 mil anos, que ali são entre 11 a 14 de corais, além das variedades de peixes e mamíferos marinhos. Já pensou em nadar junto de golfinhos ou leões-marinhos? É possível!

Para quem quer ir além das praias

Uma coisa que se deve ter em mente é que todas as praias, sem exceção, são espetaculares. Não há distinção da mais bonita ou a menos bonita. Todas são ótimas. Contudo, há também outras paisagens interessantes que podem oferecer um México diferente.

O sentindo tomado é até a capital da Baja California Sur, La Paz. No trajeto, impossível não conhecer o povoado El Triunfo com o seu museu a céu aberto que remete a um abandonado oásis de mineradores. Outro povoado é Todos Santos com todas as suas histórias, incluindo sobre o famoso Hotel California, aquele mesmo da canção.

Em La Paz, são abertas às portas para a Ilha Espírito Santo. Um lindo contraste entre deserto e mar azul, com lobos marinhos e o show de baleias. O que se vê é apenas a natureza que tira a força da gravidade dos ombros e convidada para sentir somente a liberdade.

Envie um e-mail para agencia@rdcviagens.com.br solicitando um pedido de cotação. Lembre-se de informar a quantidade de pessoas e o período da sua viagem. Se preferir, entre em contato pelo telefone (11) 2172-0270, 2ª a 6ª feira, das 9h às 19h e boa viagem.

Deixe um comentário