Carregando...
''
img_banner

Mercado Ver-o-Peso, pra ver todo o Pará lá dentro

Não é à toa que o Mercado Ver-o-Peso é o cartão postal da belíssima cidade de Belém, capital do Pará. Localizado no bairro Cidade Velha, às margens da baía do Guajará, o mercado é a mais pura tradução da cultura paraense e da região amazônica. Dono da maior feira livre da América Latina, reúne centenas de barracas de frutas exóticas, de peixes amazônicos, de ervas medicinais, doces, artesanatos, artigos religiosos e onde também é possível provar pratos como o famoso peixe frito com açaí.

O nome “Ver-o-Peso” tem origem na antiga função do local como posto de arrecadação alfandegária. Na “Casa do Haver o Peso” os produtos que chegavam à cidade eram pesados para definição do valor do tributo a ser cobrado. O posto funcionou de 1688 até meados de 1839, quando a Casa foi demolida para a construção do Mercado de Peixes ou Mercado de Ferro e do Mercado de Carnes – conhecido como Mercado Municipal ou Mercado Bolonha.

mercado-ver-o-peso

Organize a sua visita pelos prédios e pelas áreas. O Mercado de Ferro e o Mercado de Carnes fazem parte do Complexo do Ver-o-Peso, uma área de 26.500m² que também abriga outros setores como a Feira Livre, um setor com cerca de 1000 barracas padronizadas, com áreas definidas de frutas e legumes, de ervas, extratos e chás para curar tudo, de farinhas, grãos e temperos e ainda uma dedicada apenas a alimentos preparados, como o filhote frito, o arroz de jambu e os sucos de cupuaçu, açaí e bacuri.

alimentos-mercado-ver-o-peso

O conjunto arquitetônico e paisagístico do Ver-o-Peso foi tombado, em 1977, pelo Instituto Histórico e Arquitetônico Nacional (Iphan).

O açaí ganhou uma área só sua. Anexo ao mercado, com cenário da Baía do Guajará e do Forte do Castelo ao fundo, a “Feira do Açaí”, também tombada pelo Iphan, é um espetáculo à parte.  Por volta da 1 hora da manhã chegam os primeiros barcos abastecidos com toneladas de açaí recém-colhidos da floresta e de ilhas da região. Cestos de vime, paneiros repletos de açaí, proporcionam um visual fantástico: alinhados lado a lado, preenchem todo o espaço e oferecem um visual único e autêntico, perfeito para contemplar e para cliques que só você vai ter. Antes do amanhecer os cestos já estão vazios porque o comércio é intenso durante a madrugada.

feira-do-acai

Dica: Se quiser conferir este espetáculo, reserve as primeiras horas da madrugada. Por segurança, recomenda-se ir ao local de táxi e sem ostentação.

Fique de olho na arquitetura do Mercado de Ferro. Inaugurado em 1901, reflete bem o período áureo do ciclo da borracha na região e a influência francesa do estilo art nouveau da belle époque na sua construção. Toda a estrutura de ferro do prédio foi forjada na Europa e montada no local. As torres foram cobertas com escamas de zinco e a cobertura principal recebeu telhas tipo Marselha. Possui cerca de 1200 m² e peso estimado de 1.133.389 toneladas. Aproveite os 67 boxes para comprar ou simplesmente conhecer peixes amazônicos, como o tucunaré, o famoso filhote, o pirarucu, caranguejos vivos e camarões de todos os tamanhos, incluindo o minúsculo aviú.

aviu-destaque-post-00

Além dos vendedores de pescado, 27 lojistas trabalham nas áreas interna e externa do Mercado, que recebe cerca de quatro mil pessoas por dia. Na área, pescadores, vendedores de peixes, donas de casa, cozinheiros de alguns dos melhores restaurantes da região de Belém se misturam entre visitantes de várias regiões do Brasil e do mundo.

O Mercado de Carne, de 1867, passou a se chamar Mercado Francisco Bolonha em 1908, em homenagem ao engenheiro que promoveu a sua reforma. Apresenta um grande pátio interno envolvido por um prédio em alvenaria com linhas de arquitetura neoclássica. Essa área interna abriga 4 pavilhões de ferro. Aproveite a escada em espiral para subir até a plataforma e apreciar de cima a bela arquitetura e estrutura do mercado.

Conte com a riqueza da área para conferir outros pontos tombados do Complexo Ver-o-Peso, como a Praça Siqueira Campos, conhecida popularmente como Praça do Relógio, por abrigar um relógio inglês de 12 metros de altura. O local foi batizado em homenagem ao tenente paraense, um dos heróis da revolta do Forte de Copacabana.

praca-do-relogio

Já que o Ver-o-Peso está próximo da Estação das Docas, explore este magnífico complexo de 32 mil metros quadrados à beira da baía do Guajará. O espaço é dividido em três boulevares que oferecem muita gastronomia, artesanato, exposições e dois teatros.

estacao-das-docas

Se você é um viajante explorador, que deseja se divertir aprendendo e interagindo, então seu destino é Belém e seu ponto turístico é o Complexo Ver-o-Peso. Vá treinando: tem jambu, tucupi, pimentinha, cupuaçu, chocolate do Combu, tucunaré, aviú e muitas outras maravilhas que quem é paraense conhece, e quem não é vai adorar descobrir. Conte com as opções de hospedagens dos parceiros RDC em Belém e região. Consulte a nossa Central de Reservas.

IRENE PEREIRA VENÂNCIO

USO ESSE ESPAÇO PARA AGRADECER À RDC PELA IMENSA CONTRIBUIÇÃO PARA A DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE NOSSA QUERIDA CIDADE. SUGIRO QUE EM OUTRA OPORTUNIDADE, SEJAM MOSTRADOS OUTROS BELOS PONTOS TURÍSTICOS QUE BELÉM OFERECE AOS VIAJANTES TAIS COMO: A BASÍLICA DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ, O MANGAL DAS GARÇAS, O POLO JOALHEIRO, ETC. PARABÉNS PELA INICIATIVA.

25 de agosto de 2016 | Responder
    Redação RDC

    Olá, Irene! Ficamos muito felizes com seu comentário e de saber que você adorou o post sobre o Mercado Ver-o-Peso! Pará é lindo demais, não acha? Até a próxima!

    26 de agosto de 2016 | Responder
Sarah

BOA NOITE! ESTOU CRIANDO UM INSTAGRAM SOBRE ENGENHARIA CIVIL E GOSTARIA DE SABER SE POSSO USAR SUAS FOTOS DA CIDADE DE BELÉM, SE SIM, VOCÊ TEM COMO ME ENVIAR AS FOTOS QUE TEM DA CIDADE? COM CERTEZA DAREI OS CRÉDITOS NAS FOTOS. GOSTEI MUITOS DAS SUAS FOTOS DA CIDADE! OBRIGADA.

18 de maio de 2017 | Responder

Deixe um comentário