Carregando...
''

Miami além dos paradigmas

Quando se fala em Miami, logo associamos a outlets e uma vida um tanto quanto exagerada. Embora, a associação não seja totalmente errada, há muito mais para se conhecer em Miami do que se possa imaginar.

De um pântano cercado por uma selva, há míseros 10 mil anos, um futuro era guardado para além das ambições dos invasores europeus. A palavra Miami significa “Água Grande” e carrega em seu dorso original a coragem das personagens que escreveram esse enredo.

12-PALMEIRAS-MIAMI-Miami

Em 1896, nascia uma cidade do pó através do sonho de uma mulher que furou o solo, plantou a sua casa e destruiu os padrões da época. A partir daí, outros caminhos convergiram para romper com paradigmas e construir um destino muito maior que vai além das gôndolas, roupas de marcas e ostentação. E é isso que você verá neste post: uma Miami além dos rótulos que soube se reinventar. Vamos nessa?

Uma mulher, algumas laranjas e uma cidade

A cidade de Miami é sobretudo um lugar em que os paradigmas são rompidos. Quem diria que uma metrópole poderia ter sido idealizada e fundada por uma mulher no final do século 19? Seu nome é Julia Tutlle e essa é a sua história.

Antes de ser um oásis atraente para turistas do mundo todo, Miami era um pântano com alguns pés de laranjas. Essa combinação curiosa foi o que despertou em Julia o desejo de construir uma cidade – para muitos, no meio do nada.

02-CASINHA-SALVA-VIDAS-SOUTH-BEACH-Miami

Após o falecimento de seu marido e com um bom recurso no bolso, ela comprou cerca de 3 km² de terra à beira do rio, mudou-se de mala, filhos e cuia para a região que hoje é Miami e começou a angariar fundos e estruturas para erguer uma cidade dos seus sonhos. Contudo, a sua mente visionária não foi compreendida logo de início pelas pessoas cujo auxílio seria indispensável para colocar no mapa a rota da cidade. Uma delas era Henry Flagler, um magnata das ferrovias.

Ao que parece, de princípio, a localização não era interessante economicamente para os investidores, muito menos seu gênero. Contudo, Tutlle não desistiu e continuou a sua empreitada em fazer realidade a sua visão. Talvez, de tanto esforço e vontade, o destino resolveu a presentear.

07-MIAMI-BEACH-Miami

Houve um inverno que destruiu a maioria dos campos de laranjas, menos as das terras de Tutlle. Era a sua oportunidade: enviou ao Flagler um ramo de flores de laranjeiras e a prova que ali os frutos passavam muito bem, obrigado. Um lance de dados do universo, corroborou para unir 300 assinaturas em prol da fundação de Miami e transformá-la na Meca dos viajantes. Interessante ressaltar que como mulher, não poderia participar da votação, entretanto, sem ela e sua persistência, nada teria nascido naquela região. Ainda bem!

A cidade que se reinventa

O dom de atrair pessoas para se reinventar, sempre desenhou os rumos da cidade. Foi assim desde o seu início, antes mesmo de ser Miami. Entre aventureiros em busca da fonte da juventude que se perderam nos idos de 1500, mulheres visionárias, criadores de praia, imigrantes de todos os lados e a comunidade LGBT, Miami se reinventa a todo instante.

03-LINCOLN-ROAD-Miami

Todos vinham atrás de calor, tanto nos negócios, como alento do frio que traziam do norte ou um novo lar. Em Miami, o sol sorria e ganhava formas suntuosas de balneário com cara de Caribe. Carl Fischer levou a cabo esse ideal, mudando o cenário pantanoso em Miami Beach: prédios coloridos, jardins e a praia à vista.

06-MIAMI-BEACH-ENTRADA-Miami

Os anos foram passando, o cenário se transformando da horizontalidade para a verticalidade – agora o céu era o limite. Já estava na hora de tomar atitude e se tornar uma cidade que os turistas quisessem conhecer e não apenas passar. E logo, reinventou-se para continuar atraindo mais pessoas em um caldeirão multicultural e totalmente inesperado. Muitas pessoas conhecem Miami e querem voltar, pelo simples fato de suas ruas serem mágicas.

10-OCEAN-DRIVE-Miami

Na década de 80, a cidade enfrentou uma grande onda de criminalidade, ao passo que foi perdendo a sua magia e visitantes. Foi também o ponto de encontro dos excessos americanos, chegou a ser conhecida como brega e bem peculiar no mesmo patamar que Las Vegas. Teve seriado policial e uma queda vertiginosa: a solução foi mudar! Começou com eventos, arte e muito incentivo. E o que você verá é isso!

Arte que fez mudar a cara da cidade

O lado B de Miami é o artístico e cultural, diferente das compras, das festas intermináveis em Miami Beach ou como parada estratégica para chegar na casa do Mickey. Ela tinha muito mais a oferecer, então colocaram a mãos na massa e quebraram mais um paradigma: uma Miami refinada e interessante.

09-MIAMI-SOUTH-BEACH-Miami

Para quem gosta de arte, é um lugar espetacular. A cidade virou do avesso a fim de mostrar a sua expressão, seja em um museu, galeria ou nos muros da cidade. Aliás, os muros falam uma língua compreendida por todos: a da arte de rua.

Há atrações de todos os tipos e gostos, afinal, uma cidade com tamanha diversidade não poderia excluir ninguém. Com muitos museus, feiras e galerias, a cidade se tornou um centro cultural importante, dentro do calendário mundial de arte.

14-WYNWOOD-WALL-Miami

Museus para conhecer

Por incrível que o pareça, Miami possui diversos museus que vão deixa-lo feliz por ter ido visitar. Tem para todos os gostos, incluindo para as crianças! Miami mais uma vez surpreendendo:

Phillip and Patricia Frost Museum of Science – 1101 Biscayne Blvd;
Perés Art Museum Miami (PAMM) – 1103 Biscayne Boulevard, Miami;
Bass Museum of Art –  2121 Park Avenue, Miami Beach;
Miami Auto Museum – 2000 NE 146th St, North Miami;
Children’s Museum – 980 MacArthur Causeway, Miami.

Curiosidade: O mês de maio é famoso para quem curte passeios em museus e busca um excelente custo-benefício. As entradas dos museus são gratuitas nesta época!

Um lado mais sofisticado: Design District

No bairro de Wynwood, há uma parte bem diferente do que sempre se acostumou ouvir sobre Miami. Lá, o que reina é a sofisticação de linhas e formas, as quais constroem um espaço voltado para design: galerias de arte moderna, como a De La Cruz Collection, e uma instalação chamada Elastika, feita pela arquiteta Zaha Hadid, que fará a sua imaginação fluir.

08-MIAMI-DESIGN-DISTRICT-Miami

A arte também pode se mesclar ao consumo sim. Desta forma, de uma espécie de Quinta Avenida do sul, nasceram vitrines e instalações de lojas de grifes famosas que se instalaram cumprindo com o propósito da estética, sem deixar a sua essência de lado. Prepare-se para tirar muitas fotos.

Descubra a diversidade nos bairros de Miami

Experimente tomar um café da manhã tipicamente americano aos pés da praia, cair na balada ou assistir ao show de drags, sair para bater perna na Wynwood, deixar as horas passarem nos ambientes com verde e aberto. Miami é uma cidade pensada para não ser apenas uma passagem, mas para quebrar todos os paradigmas!

15-WYNWOOD-WALL-2-Miami

Dica: Para andar por toda a cidade com praticidade, considere alugar um carro, o sistema de estacionamento é bem funcional. Você pode contar com a RDC Viagens para ajudá-lo a encontrar o melhor orçamento.

 – A transformação tem nome: Wynwood
Quem caminha por Wynwood não imagina o quão degradado eram as suas vias. A década de 80 foi o declínio da cidade, que teve que mudar. Era um bairro pobre, majoritariamente de imigrantes e operários, cercado por violência e drogas. Aos poucos, os artistas foram alugando cantinhos que serviam de ateliê até ocuparem tudo. Pela arte inserida em seus espaços públicos, a cidade pôde virar o jogo e servir de fundo de várias imagens do Instagram. Certamente, você já viu alguma das artes de Wynwood.

16-WYNWOOD-WALL-3-Miami

São quarteirões e um estacionamento que abrigam 50 galerias, 4 museus, vários ateliês, lojas e restaurantes alternativos. A arte é essencialmente de rua, ou seja, tem grafite por todos os lados, compondo inúmeros painéis e trazendo nomes bem conhecidos, como os brazucas Os Gêmeos. O Wynwood Wall é um complexo com inúmeros paredões de grafites, aberto ao público e que vendem algumas obras, e é o local mais fotografado da cidade. De tempos em tempos, há eventos no local, trazendo comida boa, música legal e muita gente bacana para a área.

Dica: Siga o cheirinho de pães fresquinhos, vindo de um prédio multicolorido chamado Zak The Baker. Aproveite para se deliciar na incrível variedades de pães e doces judaícos, preparados de um modo artesanal e perfeitos para ter aquele café da manhã dos campeões! A padaria é conhecida como a melhor em Miami e é um ponto encantador para conhecer, além de ser bem próximo ao Wynwood Wall.

 – Cores e mais cores no Distrito Art Déco
Miami é lembrada pelas praias e pelos hoteizinhos coloridos à beira mar em South Beach, na Ocean Drive. Ali é o chamado Distrito Art Déco, que nasceu entre as décadas de 20 a 40, com intuito de levantar os ânimos e lançar de lado os conflitos que surgiram durante a Grande Depressão. Os prédios são, antes de tudo, ornamentais, e por esta razão, o que irá se observar neste espaço, é uma uber repleta de formas, cores e muito neon, afinal, você está em um lugar que as festas sempre estarão rolando.

11-OCEAN-DRIVE-2-Miami

Andando pela Ocean Drive, você encontrará o melhor em restaurantes e bares e, claro, a praia. O mar é verde, a areia branquinha cercada por jardins e sem nenhuma sujeira em sua orla. Uma curiosidade: As praias fecham durante à noite para preservar as tartarugas marinhas e diminuir a violência no local. Porém, a noite chama para cair na balada nas melhores discotecas do mundo.

04-LINCOLN-ROAD-2-Miami

 Para conhecer esse trecho, é bom caminhar! A cada esquina uma surpresa. Uma avenida imperdível da região da South Beach é a Collins Avenue, que reúne várias lojas legais e uma paisagem colorida e animada. Outra opção é a Lincoln Road, que é um dos locais mais badalados da região.

Curiosidade: Na Ocean Drive, número 728, você encontra o cenário do filme “Scarface”.

 – Little Havana
Uma coisa é mais que sabida em Miami: diversidade. São várias línguas faladas nesta cidade, sobretudo, o espanhol. São várias culturas convivendo harmoniosamente. E um bairro que vai trazer um pouco desse caldeirão cultural é  Little Havana, um pedacinho de Cuba em Miami.

05-LITTLE-HAVANA-Miami

Pela Calle Ocho você poderá encontrar lojas que vendem os famosos charutos cubanos, galerias de arte (claro!) e lojinhas para levar o presente para quem fico em casa. Lá ainda é possível presenciar grupos de pessoas jogando dominó, mais diversidade impossível. Como a cidade respira arte, nas últimas sextas-feiras do mês ocorrem as “Viernes Culturales”, com apresentações e mais comida na rua.

 – Downtown
Primeiramente, é notório entender que Miami é divida entre o continente e a ilha. Downtown fica do lado de lá da ponte, no continente. Lógico que quando as pessoas viajam à Miami, a praia é o destino mais procurado. Contudo, a região central oferece muitas possibilidades, além de um centro comercial. O coração de Miami tem a sua graça e bons lugares para se fazer compras!

01-BAY-SIDE-MARKET-Miami

Um lugar que tem que ser visitado é o Bayside Market Place, um local de compras com ar de Miami. Lá, você encontra  lojas conceituais e restaurantes, como o Bubba Gump Shrimp Co, inspirado no filme Forrest Gump, e o tradicional Hard Rock Café.

Hora de ir para as compras

13-SAWGRASS-Miami

Como vimos, Miami é bem mais curiosa que dizem por aí, porém comprar também faz parte do passeio, listamos alguns lugares para você gastar:

Dolphin Mall – Onde fica: 11401 Northwest 12th Street. O que encontrar lá: o mais acessível da cidade;
Aventura Mall – Onde fica: 19501 Biscayne Boulevard, Aventura. O que encontramos lá: as lojas mais procuradas e um espaço para recarregar as energias;
Sawgrass Mills Malls – Onde fica: 12801 West Sunrise Blvd. Sunrise, FL 33323. O que encontrar lá: maior outlet do mundo, tudo que mais amamos!

Miami está sempre de portas abertas com um repertório de diversão que não deixa nenhuma cidade a desejar. Estar lá é compartilhar da experiência de viver – mesmo que por poucos dias – em meio a diversidades, e isso é muito bom. Ruas que mostram arte, entretenimento em todos os horários para todas as idades, praias bem conservadas, compras fantásticas e uma história interessante.

Envie um e-mail para agencia@rdcviagens.com.br solicitando um pedido de cotação. Lembre-se de informar a quantidade de pessoas e o período da sua viagem. Se preferir, entre em contato pelo telefone (11) 2172-0270, 2ª a 6ª feira, das 9h às 19h e boa viagem. ENJOY!

Urivino Bandeira Ribeiro Júnior

Adorei essa matéria! Já fui em Miami E isso só me fez cair em saudades por essa cidade tão bacana! Parabéns e continuem postando mais.

8 de agosto de 2018 | Responder
    Redação RDC

    Que bom que você gostou do post, Urivino. Ficamos felizes! Realmente Miami é uma cidade incrível e que deixa saudades! <3

    9 de agosto de 2018 | Responder
Maria APARCIDA BATISTA SALLES

GOSTARIA DE VIAJAR PARA MIAMI NAS DATAS
23/11/2018 E RETORNAR EM 27/11/2018

GOSTARIA DE OBTER MAIS INFORMAÇÕES PARA DUAS PESSOAS
GRATA

21 de agosto de 2018 | Responder
    Redação RDC

    Olá, Maria. Conte com a agência preferencial do associado, a RDC Viagens para maiores informações. Envie um pedido de cotação para o e-mail agencia@rdcviagens.com.br, informando a quantidade de pessoas, o destino desejado e o período da sua viagem. Se preferir, entre em contato pelo telefone (11) 2172-0270, 2ª a 6ª feira, das 9h às 19h. Qualquer dúvida, conte com a gente. Obrigado! 😉

    21 de agosto de 2018 | Responder

Deixe um comentário