Blog RDC Férias
Carregando...
''
01-DestaqueRockAndRoll-2

Nosso roteiro rock’n’roll

Hoje é o Dia Internacional do Rock e queremos entrar nesse ritmo, viajando. Pegando carona na música “Dezesseis” de Renato Russo , com referências que nos levam de Brasília à Londres, com paradas em Nova York e a pontos que só quem ama rock entende essa viagem. Vamos embarcar?

“João Roberto era o maioral/O nosso Johnny era um cara legal/Ele tinha um Opala metálico azul/Era o rei dos pegas na Asa Sul/E em todo lugar…”

 09-Post-asa-sul

Bora entender onde tudo acontecia. Brasília! A Asa Sul é um local que possui as edificações mais antigas do Distrito Federal e são consideradas referências históricas da arquitetura modernista da década de 1960. O bairro foi tombado pela UNESCO. Para o rock, é um dos locais escolhidos por Johnny, da música Dezesseis, para seus rachas.

“…Quando ele pegava no violão/Conquistava as meninas/E quem mais quisesse ter/Sabia tudo da Janis/Do Led Zeppelin, dos Beatles e dos Rolling Stones…”

Para entender Johnny é preciso entender Renato Russo. Ele amava rock. Ganhou um disco dos Beatles aos 4 anos de idade, uma das suas  bandas favoritas, além dos  Rolling Stones, Sex Pistols e The Clash. Sua relação com o rock e a língua inglesa começa aí e também com os Estados Unidos, para onde foi morar ainda criança com os pais. Aos onze anos, quando retornou ao Brasil, foi  morar em Brasília,  palco de suas transformações adolescentes, de inspiração de letras e de acordes para o seu rock and roll, que começou com a energia do punk rock, com sua banda Aborto Elétrico, criada em 1978.

08-Post-beatles

Você sabia que há uma relação entre John Lennon e o fim do Aborto Elétrico? No dia do aniversário da morte de John Lennon, Renato Russo não apareceu no  horário da apresentação da banda num show ao vivo. Chegou atrasado e quando apareceu informou que estava meditando por John. O fato gerou  discussões e Renato anunciou o fim da banda.

Tudo isso vale uma parada em Londres para caminhar sobre a famosa faixa de pedestres da Abbey Road, a rua simples e arborizada eternizada no álbum homônimo dos Beatles. Foi também no Abbey Road Studios que, em 1995, os discos de estúdio do Legião Urbana foram remasterizados para serem lançados como coleção numa embalagem lata intitulada “Por enquanto 1984-1995”.

10-Post-abbey-road

Para não ficar só em Abbey Road, fãs de rock podem aproveitar  para fazer o Beatles Walks em Londres. Caminhar pelos principais endereços por onde os Beatles passaram e outros onde viveram, como o apartamento onde os quatro moraram juntos; a Savile Row, local da gravadora Apple, onde o quarteto subiu ao topo do prédio para fazer  o que seria o último show da banda, e que foi interrompido por policiais; a Marylebone Station, de 1889, utilizada para locação do filme “A Hard Day’s Night”; a Montagu Square, primeira residência de Yoko e John em Londres e onde fizeram a famosa foto nus sobre a cama. Detalhe: o guia é Richard Porter, dono do Beatles Coffee Shop, expert em Beatles, que adora bater papo sobre os anos 60 e rock and roll. O roteiro faz parte da programação da London Walks.

06-Post-imagem-beatles-show-roof

“…As máquinas prontas/Um ronco de motor/A cidade inteira se movimentou/E Johnny disse:” Eu vou pra Curva do Diabo, em Sobradinho, e vocês?

E os motores saíram ligados a mil/Pra estrada da morte /o maior pega que existiu/Só deu para ouvir, foi aquela explosão/E os pedaços do Opala azul de Johnny pelo chão…”

A famosa “Curva do Diabo”, em Sobradinho – cidade satélite de Brasília fundada em 1960, refere-se ao antigo “Ó” formado pela sequência de curvas entre os dois retornos sentido Sobradinho-Planaltina. Décadas atrás esse trecho era lotado de árvores e eucaliptos, exigindo habilidade ao volante. Esses pegas citados por Renato  lembram bem os temas da juventude roqueira americana dos anos 50, com direito a briga entre gangs, rachas, e de ídolos como o astro James Dean, do filme Juventude Transviada. O ator morreu jovem dirigindo em alta velocidade seu Porsche 550 numa estrada da Califórnia. Nosso Johnny e seu Opala metálico azul “explodiram” a caminho de Sobradinho.

Muito dessa irreverência pode ser conferida em Cleveland, Ohio, nos Estados Unidos, no Rock and Roll Hall of Fame and Museum. O local faz um resgate da história do rock, explorando o passado, o presente e o futuro da música, considerando todo o contexto cultural. É perfeito. São seis andares. Começa no subsolo do prédio com os gêneros que influenciaram a origem do rock como rythim ‘n blues e jazz. Depois vai andar acima contando o estouro do rock, então considerado um ritmo subversivo, ouvindo bandas e artistas que marcaram esse período turbulento.

04-Post-rock-and-roll-hall-of-fame

É claro, Rock and Roll Hall of Fame and Museum tem uma área toda dedicada a Elvis Presley, outra só para os Beatles, assim como uma exclusiva dos Rolling Stones. Todas com direito a tudo: de roupas a letras originais, guitarras, documentários. De Jimi Hendrix, Janis Joplin a Michael Jackson e Prince. Nada passa em branco. Até cidades como ChicagoNew OrleansMemphis e Detroit, onde está a sede da Motown, são lembradas. As referências seguem com hall da fama e áreas com exposições temporárias, com direito a paradas para café, comidinhas e bebidinhas e vistas para  o Lago Erie.

“…E na saída da aula/ foi estranho e bonito/Todo o mundo cantando baixinho: Strawberry Fields Forever/Strawberry Fields Forever…”

Renato Russo estudou no Colégio Marista de Brasília (615 Sul), onde concluiu o que seria os então 1º. e 2º. graus.  A escola é hoje uma das mais tradicionais instituições de ensino de Brasília onde estudaram também outros nomes da música como Dado Villa-Lobos, Zélia Duncan e Dinho Ouro Preto. Ele amava a língua inglesa. Frequentou as famosas “aulinhas de inglês” na Cultura Inglesa (Setor Comercial Sul e 708/908 Sul)  e depois se tornou professor da escola. Não resistiu e “intertextualizou” o trecho da  música Strawberry Fields Forever  dos Beatles na sua  Dezesseis. Renato, John e Johnny tinham algo em comum.

07-Post-colegio-marista-de-brasilia

Strawberry Field refere-se ao nome de uma mansão gótica que abrigava meninas órfãs , mantida pelo Exército de Salvação. Ficava a apenas alguns minutos da casa de John Lennon que morava em uma rua paralela à Strawberry Field , Menlove Avenue, com sua tia Mimi e seu tio George. John gostava de pular os muros para  brincar de explorar mansões com seus amigos durante a sua infância. Segundo sua tia, o local marcou sua infância. A música é uma reflexão sobre a convicção de que desde criança ele sempre fora diferente dos demais, de que via e sentia coisas que outras crianças e adultos não podiam sentir.  O  verso de abertura da música Strawberry Fields Forever  foi incluído por último, no estúdio.

02-Post-strawberry-fields

Me deixe te levar
Porque eu estou indo para Strawberry Fields
Nada é real
E não há nada com o que se preocupar
Strawberry Fields para sempre

Viver é fácil com os olhos fechados
Sem entender tudo o que você vê
Está ficando difícil ser alguém
Mas tudo funciona bem
Isso não me importa muito

Cinco anos após a trágica morte de John Lennon , o nome Strawberry Field foi usado para batizar uma área em formato de gota no Central Park West, em Nova York, dedicada a homenagear o famoso beatle. O  Strawberry Field Memorial foi projetado  pelo arquiteto e  paisagista Bruce Kelley e subscrito por Yoko Ono , que doou 1 milhão de dólares. Está localizado  em  frente ao edifício Dakota, onde John Lennon morava com Yoko e o filho do casal.

03-Post-strawberry-fields-memorial

O Strawberry Field Memorial abrange uma área de 10 mil metros quadrados . Na parte central apresenta uma reprodução de um piso mosaico circular de Pompéia em preto e branco , tendo no centro a palavra “Imagine” , referência à música de Lennon que exalta a paz universal. O mosaico foi  criado  por artistas da cidade de Nápoles e doado pela cidade italiana. Ao redor do mosaico, bancos distribuídos pelo jardim convidam ao descanso e à reflexão e uma placa de bronze  lista os mais de 120 países que plantaram flores e doaram verba para a manutenção da área, entre eles o Brasil. Junto ao mosaico, as homenagens são diárias de fãs de Lennon cantando suas canções, colocando flores, fazendo performances.

Aproveite para ver tudo isso de cima, do alto do observatório do Top of the Rock. (Não, não é Rock de “Rock and Roll”, mas de Rockefeller Plaza) O mirante fica no 70 º andar do edifício e oferece três pontos para uma visão 360 graus de Nova York, incluindo vista para o Central Park e do magnífico Empire State Building com seus 103 andares.

01-Post-top-of-the-rock

Uma bela despedida desse tour de rock poderia ser em Brasília mesmo, homenageando Renato Russo não só com Dezesseis, também com Eduardo e Mônica , no Parque da Cidade, com pit stop no Estacionamento 12, aonde Mônica chegou de moto e Eduardo de “camelo”. No Parque foi criada a Praça Eduardo e Mônica com direito a placa da artista plástica Mara Mendes: um violão com a partitura da música criada pelo líder do Legião Urbana. Ao redor da praça, assim como no Memorial de Lennon, bancos entre o verde , um convite a um momento de relaxamento e reflexão.

05-Post-parque-da-cidade

Que tal planejar uma viagem, unindo o melhor do universo do rock a cenários do Brasil e do mundo? Ídolos, músicas e histórias não faltam para inspirar. Conte com a RDC VIAGENS, a agência preferencial do associado, para ir à Nova York, por exemplo, conhecer o Strawberry Field Memorial ou à Cleveland para visitar o Rock and Roll Hall of Fame and Museum. Se quiser começar por Brasília, confira as opções de hospedagem dos parceiros RDC na cidade do rock de Renato Russo.

Deixe um comentário