Carregando...

O Mundo Novo de Fernando de Noronha

Se há um lugar nesse Brasil que anda bem famoso, com certeza é Fernando de Noronha. Ele estampa diversas notícias, seja devido a horda de famosos que publicam em suas Redes Sociais imagens de uma natureza provocativa e legendas “Noronhe-se”, seja pelo pronunciamento do Presidente da República que questiona a necessidade da cobrança da taxa de manutenção ambiental do arquipélago. Entretanto, Fernando de Noronha sempre esteve de uma forma ou de outra na cabeça do viajante e nunca saiu do imaginário do povo: é a materialização do paraíso na Terra. Isso ninguém discorda. Contudo, até chegar a esse patamar, muitas revoluções passaram pelos seus céus e mares.

No princípio, uma cadeia de montanhas vulcânicas submersas emergiu do mar, e assim, Fernando de Noronha construiu todo esse cenário miraculosamente decorado com o melhor da natureza. São 21 ilhas, ilhotas e rochedos que formam o arquipélago, cercado pelas suas cobiçadas praias. Se existe uma vida boa, ela é vivida neste lugar,  a 545 km de Recife, sua capital, e a 360 km de Natal. Hoje, Fernando de Noronha é o seu próximo destino.

 

Terra à vista e base americana

Fernando de Noronha esteve milênios e milênios guardado, até que um dia o Velho Mundo o avistou. Chegaram ao arquipélago em 1503, e assim, fez-se das lindas praias, da biodiversidade e desse mar – ah esse mar! – um dos primeiros contatos do velho com o novo. E nem precisa de escafandristas para poder entender que abaixo dessa água azulada existe um Mundo Novo. Talvez, um mundo invertido que tem a sua própria vida e suas próprias regras. Conhecer Noronha é também submergir em suas águas e descobri que a vida pulsa líquida. Mas, para aquele momento histórico, Noronha não era interessante: sem Pau Brasil, sem cana-de-açúcar e sem ouro não se fez graça aos olhos de Portugal.

Porém, a história desse pedacinho de chão continuou as suas aventuras, muitas das vezes não tão gloriosas: foi cobiçada e invadida por holandeses, franceses e piratas, além de redigir histórias de cárcere e ser um lugar estratégico para os Aliados na Segunda Guerra Mundial.

Depois de passar 200 anos abandonada, Portugal decidiu que era hora de tornar esse território habitável e mandar embora qualquer outro falante de francês ou de neerlandês. Em 1737, o jeito foi fortificar o arquipélago e fazer morada aos indesejados da Coroa. De pedra sobre pedra, com canhões apontados para a Baía dos Porcos e com os Dois Irmãos como testemunha ocular desse tempo, os próprios presos construíram a sua prisão. Destruíram a natureza em prol das grades e viveram ali cercados pelo mar, esperando o tempo passar. O impacto foi tanto que o próprio clima da ilha se modificou, além de várias espécies endêmicas do lugar desaparecerem. Houve tantas transformações que a ideia de paraíso não existia para Fernando de Noronha. Dessa época ainda há vestígios na Baía dos Porcos e outra construção mais preservada, a Fortaleza Nossa Senhora dos Remédios.

CURIOSIDADE: Os presos que não apresentavam riscos podiam viver em casas pela ilha com suas famílias, formando assim os primeiros descendentes dessa terra.

Entre 1938 e 1945, esse lugar emprestou novamente seu solo para fins militares. Além de ser um depósito de presos políticos, também serviu de base militar aos Estados Unidos, em 1942. Nessa época, a ilha teve um boom populacional com a entrada de 3 mil militares brasileiros e americanos de uma hora para outra. Novamente, houve um impacto que refletiu na natureza. Durante a Guerra Fria, entre 1958 e 1965, Noronha foi casa de militares americanos que monitoraram os céus e os mares.

Como chegar?

Para chegar ao seu próximo destino é preciso se despedir do continente. São duas opções de início de caminho: Recife ou Natal, sendo que a capital pernambucana possui voos diários, enquanto a cidade potiguar oferece alguns voos semanalmente.

DICA: Que tal unir o útil com o agradável? Se você optar pela saída de Recife, pode emendar uma viagem pelas Praia de Carneiros, Jeri e Porto de Galinhas! Agora, se Natal é seu primeiro passo, que tal esticar para Praia da Pipa, São Miguel do Gostoso ou Galinhos? Confira os pacotes na agência da RDC.

No céu, você já entende o porquê de Fernando de Noronha ser único. O Mundo Novo azulado abre um sorrisão de boas-vindas e fala para você chegar mais e aproveitar os dias no Havaí brasileiro no compasso de suas peculiaridades. Lá, o ritmo é outro: adiante seu relógio em uma hora, o tempo é outro. Afinal, Noronha está mais para o lado Oriental do globo e as horas passam dançando calmamente entre a natureza.

Mas, antes de sair correndo para as praias, atente a esses pontos:

 

Taxa de visitação

Todos os turistas que desembarcam em Noronha devem pagar a Taxa de Preservação Ambiental – TPA. O valor é de R$ 73,52 diários por pessoa, que devem ser acertados antes de chegar à ilha via boleto bancário, pelo menos 3 dias úteis de antecedência, ou na chegada, em dinheiro vivo, cartão de crédito ou débito. Ao chegar em Noronha, no aeroporto, você verá duas filas, a de quem já pagou e de quem irá pagar.

É importante ressaltar que esse valor tem uma variação conforme o passar dos dias. Se você ficará 4 dias na ilha, pagará a quantia de R$ 361,71 por pessoa. A partir do 6° ao 10° dia esse valor baixa um pouco, por exemplo, se vai permanecer 7 dias em Noronha, o valor da taxa passa a ser R$ 467,59 por pessoa. No site oficial de Noronha há uma tabela com os preços, para acessá-la, clique aqui. *confira sempre os valores atualizados no site.

Atenção: Crianças até 4 anos não pagam a taxa, no entanto, não existe essa isenção destinada a estudantes e idosos. Fique também atento se quiser estender a sua visita, pois poderá pagar uma multa. E, guarde o comprovante de pagamento da taxa, que será pedida no check-in do voo de volta.

 

Ingresso Parque Nacional

Há também outra taxa que dá acesso ao Parque Nacional Marinho, no valor de R$ 106 para brasileiros e R$ 212 para estrangeiros, com validade de 10 dias. A gratuidade é concedida a crianças com até 11 anos e adultos com mais de 60 anos. Lembrando que esse dinheiro é revertido para a manutenção e ações de preservação dessas áreas. Você pode adquirir o ingresso no Centro de Visitantes ou no Posto de Informação e Controle. Caso tenha comprado pela internet, deve ir a um desses lugares para validá-lo.

Atenção: Dá para visitar Noronha sem precisar adquiri o ingresso para o Parque Nacional, contudo será impedido de entrar nas áreas das praias do Sancho, Leão, Sueste e Atalaia, Baía dos Porcos e dos Golfinhos, além de não poder fazer os passeios de barco e andar pelas trilhas.

 

Do aeroporto à sua pousada

No pacote da RDC está prevista o transfer de chegada e saída entre o aeroporto e pousada.

Confira também este roteiro das nossas assinantes: Meuroteirordc.com.br/É possível encontrar luxo na simplicidade

 

Como se locomover em Noronha?

Fernando de Noronha tem basicamente 17 km² em sua ilha principal e onde a sua viagem acontece, além do mais, existe na ilha a segunda menor BR do Brasil, com 7 km de extensão, que sai do Porto de Santo Antônio até a Praia do Sueste. São poucos quilômetros que podem ser feitos a pé, porém recomenda-se que opte por outros tipos de transporte, como os táxis ou bugues.

Bugues, prós e contras

Os bugues são uma alternativa para quem quer ter mais liberdade para conhecer as praias. Você pode alugá-los e os valores giram entorno de R$ 280 a R$ 350 por dia. Contudo, também há contras: há mais chances de locar um bugue em mau estado, o preço da gasolina é vendida em petrodólares (é mais cara), a direção não é muito fácil, poluem bem mais e tem que ficar de olho na Lei Seca.

 

Táxis, prós e contras

Os táxis praticam preços mais camaradas, mas você fica dependente da disponibilidade, o que também não é um problema. Neste caso, você precisa de um mínimo de planejamento. O contra é dado pela rede de telefonia, pois há partes em Noronha que o sinal não funciona e você pode acabar ficando na mão. Tenha sempre com você telefones dos taxistas individuais.

 

 O que fazer ?

Cada momento em Noronha não pode ser desperdiçado, por isso, ao chegar em sua pousada não se demore, vá direito para praia. Mas, antes é bom saber que a ilha tem duas costas: o mar dentro e o mar fora. Praticamente todas as praias estão do lado do mar dentro, voltadas para o continente: Porto, Cachorro, Praia do Meio, Conceição, Boldró, Americano, Bode, Cacimba do Padre, Baía dos Porcos e Sancho. Enquanto no mar fora, voltada para o oceano: Leão, Sueste e Atalaia.

Outra informação importante para os visitantes é que o sol dura 12 horas, então dá para separar o dia em dois turnos e aproveitar ao máximo cada raio solar. Agora, já pode começar aproveitar esse Mundo Novo.

Nosso roteiro começa no litoral de dentro de Noronha, nas praias próxima à Vila dos Remédios. E antes de cair de cara na areia, vá conhecer o Forte Nossa Senhora dos Remédios, que data do século 18 e é uma espécie de memória histórica da ilha. Perto da vila, próximo ao Porto de Santo Antônio, há algumas praias mais selvagens, porém sem acesso a turistas, devido às questões ambientais, mas do alto do morro, um presente para os olhos e corações dos visitantes: uma capelinha bem singela dedicada a São Pedro. Simples e forte, que com certeza irá causar bons sentimentos.

DICA: Com o fundo da igrejinha, o restaurante Mergulhão é um point para descansar após um dia de praia e presenciar o show do pôr do sol em Noronha!

A 10 minutos a pé, você chega à Praia dos Cachorros, que de cara já impacta pela areia branquinha e mar azul, porém o show fica por conta do Buraco do Galego, um piscina natural super concorrida. É preciso encarar um fila, mas o resultado é encantador.

Seguindo adiante, você encontrará a Praia do Meio e a Praia da Conceição, considerada como uma das melhores praias do lugar. É fácil de chegar, tem uma grande área de areia e um mar praticamente transparente, pronto para revelar seu mundo invertido. Leve o seu snorkel e observe a outra face de Noronha, debaixo d’água.

A Praia da Conceição é badalada, tanto pelo Morro do Pico de cenário, quanto os serviços oferecidos ali. Há a temporada do mar calmo, ideal para banho, como a temporada das ondas que atraem surfistas do mundo inteiro para se equilibrar sobre as águas. Vale sentar na areia, tomar  sol e contemplar a paisagem.

Os caminhos já estão todos abertos para você conhecer Noronha, e a próxima parada é a Praia do Boldró, com uma piscina natural rente à praia, que ajuda a relaxar. Mas, atenção, o terreno na ilha é irregular e para chegar a esse lugar, há de percorrer por algumas pedras. Nada que estrague o seu dia, afinal, a gente faz castelos das pedras do caminho.

O Morro dos Dois Irmãos é mais que um cartão-postal de Fernando de Noronha. Ele é uma espécie de testemunha do tempo e está ali no canto esquerdo da Praia da Cacimba do Padre. E por falar de praia, a Praia da Cacimba do Padre é uma espécie de portal para o cenário que todo turista fica ansioso para conhecer: a Baía dos Porcos. Mas antes, aproveite o lugar, lembrando que cada momento em Noronha é precioso.

Enfim, chega-se a Baía dos Porcos e neste momento é preciso ter o passaporte para adentrar nesse cenário. Depois de passar pela trilha, esqueça a sua canga e pés na areia e vá de cabeça conhecer o mundo submerso. Para eternizar esse momento com a fotografia clássica da Baía dos Porcos, você deve ir ao Mirante Dois Irmãos, que também está dentro da área de preservação. Para acessá-lo, vá até a Praia do Sancho.

Sim, ela é bonita. A Praia do Sancho é considerada uma das praias mais bonitas do Brasil, quiçá do mundo. Ela brota em meio as falésias, com um verde parecendo um jardim e águas que ora estão verdes, ora azuis. Se no chão é quase um insulto de beleza, do alto é praticamente um sacrilégio. Para concretizar um dos desejos mais pedidos do mundo, vivênciar a Praia do Sancho, é necessário descer por uma escada rente as falésias. O fluxo do vai-e-vem de pessoas é controlado pelos horários de descida e subida. Por questões de preservação, existe esse ritual: uma hora acontece as descidas à praia, em outras, ocorrem as subidas. Organizando certinho, todo mundo chega lá. Vale suspiros de admiração e a sensação que vale muito a pena estar em Fernando de Noronha. Mais uma dica: o Mirante do Sancho é o lugar para você observar a Baía dos Porcos e o Morro dos Dois Irmãos.

Agora, se é exclusividade que você quer, na Praia do Atalaia você terá. Apenas  96 sortudos podem entrar nessa praia e mergulhar durante 30 minutos, seguindo as exigências estabelecidas para a preservação do lugar. Lembrando que esse passeio deve ser previamente agendado nos totens de auto agendamento, em horários específicos, por isso confira mais informações pelo site do Parque. Uma dica valiosa: a Praia do Atalaia é a mais procurada, por isso, vá cedo para garantir a sua vaga.

Do lado de frente ao oceano, a Praia do Leão é um santuário para desova das tartarugas marinhas. A praia não foge à regra de Noronha, porém seu mar é mais genioso que os demais, entretanto segue uma lógica: quando o mar dentro está agitado, o mar fora está calma. Assim, vai dando esse movimento a sua viagem.

O movimento segue no compasso do tempo de Noronha. Os dias passam rápidos e há tanta vida para viver por lá, que uma viagem é pouco. Você irá mergulhar, caminhar por suas trilhas, conhecer cantinhos incríveis, sabores e aromas revolucionários. Irá querer percorrer todos seus poucos quilômetros e nunca mais querer voltar. Fernando de Noronha é um lugar onde as palavras até fogem à boca. Seria muita pretensão tentar adjetivar o que esse arquipélago é. A única coisa que irá permanecer é a admiração por esse Mundo Novo.

NORONHE-SE com a RDC! Agora que você conhece um pouco mais da sua história e de suas belezas, só falta acessar nosso pacote para este pedacinho do paraíso:

Pacote Fernando de Noronha com tour pela ilha em 4×4
04 noites de hospedagem em Fernando de Noronha na Pousada da Michelle, Pousada Lenda das Águas ou Pousada Lun Mar (conforme disponibilidade fornecedor local) em apto. Standard em regime de café da manhã;
» Traslado de Chegada e Saída – em serviço regular;
» Tour de dia inteiro pela Ilha em 4×4 (Ilha tour) –  em serviço regular;
» Seguro Viagem Plano Nacional – 5 Dias.
Acesse!

*Não inclui aéreo. Confira opções de aéreos AQUI.

Deixe um comentário