Carregando...
''
capa_pocos

Poços de Caldas, passeios na natureza e terapias termais

Antes mesmo do Brasil ser descoberto, já havia quem viajasse para desfrutar do prazer e das propriedades terapêuticas das águas termais. Especialmente cabeças coroadas. Por aqui, as propriedades medicinais das águas termais de Poços Caldas foram descobertas no final do século 18, após o período do ouro no Brasil. Localizada a 260 quilômetros de São Paulo, no sul de Minas Gerais, Poços de Caldas teve seu nome inspirado em Caldas da Rainha, na região de Leiria, em Portugal, importante destino turístico termal, famoso por ter sido frequentado pela família real portuguesa, especialmente no século 19, e onde se encontra hoje o Hospital Termal Caldas da Rainha, o mais antigo do mundo, construído em 1485.

cristo-de-pocos

Dica: Não demorou para que Poços de Caldas atraísse, por aqui também cabeças coroadas, como a de D. Pedro II, louco por estâncias hidrotermais;  presidentes, como Getúlio Vargas, que adorava o clima de cassinos; de artistas famosos na época, como Carmem Miranda, de personalidades, como Santos Dumont e de intelectuais como Rui Barbosa.

Situar historicamente Poços de Caldas significa curtir melhor as atrações da cidade e também entender cada pedacinho dessa cidade que tem como cenário de fundo a fantástica Serra São Domingos, que integra a paisagem urbana da cidade. Ela faz parte da Serra da Mantiqueira e tem no Morro São Domingos seu ponto mais alto, a 1686 metros. Você pode chegar até lá em cima de carro, ou deslizando 1,5 quilômetros pelo teleférico da cidade. Lá em cima, no topo, além de mirante para uma das vistas mais espetaculares de Poços de Caldas e região, está a famosa estátua do Cristo Redentor, de 16 metros de altura, inaugurada em 1958. O local mantém infraestrutura de lanchonete e de banheiros, além de outras atrações, como  o Aquário de Poços de Caldas, com  peixes de águas doces e salgadas, moluscos, crustáceos, algas, tartarugas e  tubarões.

Também dá tempo para se aventurar saltando de paraglider lá mesmo, do topo do Morro São Domingos, aproveitando  uma das duas pistas de voo livre. Além de conhecer a cidade sob um  ângulo totalmente diferente, um Plus  de adrenalina: o voo começa e termina no mesmo lugar. Segundo os especialistas, na hora de descer, o vento térmico local carrega os “voadores” de volta à rampa de decolagem.

aquario-em-pocos-de-caldas-02

Dica: Para os voos, representantes de uma empresa de turismo fica no alto da Serra de São Domingo nos fins de semana e feriados e oferta o serviço. O voo duplo dura aproximadamente 15 minutos. O Aeroclube da cidade também realiza voos panorâmicos por Poços de Caldas. O passeio dura 15 minutos e oferece três lugares.

Nem só o Morro São Domingos é atração no Parque da Serra de São Domingos. Tombado em 1989, como Patrimônio Paisagístico e Monumento Natural de Minas Gerais, o parque oferece trilhas que levam a monumentos naturais como a Pedra Balão, um conjunto de pedras sobrepostas, com cerca de 10 metros de altura, de onde se descortinam vistas fantásticas. No local, infraestrutura de bar e quiosque de lembranças, além de um mini curral, onde o visitante pode contratar passeios a cavalo.

serra-de-sao-domingos

O Parque da Serra de São Domingos também abriga outros tesouros naturais, como cinco fontanários de água mineral. Um deles é a Fonte dos Amores, um dos cenários mais presentes nos álbuns de recordações de casais apaixonados, desde 1929, quando foi construída. Aproveitando os recursos naturais da serra, a água desce de grande altura por degraus de pedras, em meio ao bosque. Uma escultura em mármore branco, do artista italiano Giuliano Starace, de dois jovens abraçados, justifica o nome da fonte e a inspiração.

fonte-dos-amores

Na encosta da Serra de São Domingos, rodeado por mata nativa, plantas ornamentais e quedas d’água, o Recanto Japonês rende uma deliciosa experiência junto à natureza. Curta a Casa de Chá e o Caramanchão Azumaya, um tipo de quiosque feito de madeira e telhado de palha, réplica do Manj-Tei, construído nos jardins do palácio imperial japonês. Como não poderia deixar de ter, lanternas japonesas e um lago com carpas completam o ambiente. O local ainda abriga a Fonte dos Três Desejos (Amor, Saúde e Inteligência).

recanto_japones

Nota: Apesar de a Casa de Chá ter sido consumida por incêndio, em agosto de 2016, o Recanto Japonês continua aberto à visitação e a atração em processo de reconstrução.

Um dos passeios mais relaxantes de Poços de Caldas é percorrer as dezenas de fontes distribuídas pela cidade. Uma das mais procuradas pela localização e importância é a Fonte Pedro Botelho, popularmente conhecida como “Fonte do Leãozinho”. Dela, jorram as águas sulforosas mais quentes, a 45º C, de natureza alcalina, bicabornatada e sulfetada. Ela faz parte do Patrimônio do Complexo Hidrotermal e Hoteleiro de Poços de Caldas como nascente abastecedora das Thermas Antônio Carlos, que fica bem ao lado, e da piscina do Palace Hotel. O local também protege a entrada das nascentes Chiquinha e Mariquinhas.

palace-hotel

Para registrar a sua passagem pela cidade, permaneça na Praça Dr. Eliziário Junqueira, a mesma onde está localizada a Fonte do Leãozinho. É que lá está localizado o Calendário Floral, com flores, plantas e placas atualizadas diariamente, marcando a data e a estação do ano. Vale uma selfie datada assim, tão floridamente?

praca-de-eliziario-junqueira

Também não dá para  resistir ao charme (e à oportunidade) de se submeter a sessões de hidroterapia na histórica Thermas de São Carlos. O prédio faz parte das construções da década de 1930 que elevaram o município à categoria de “primeira cidade balneária do Brasil e da América Latina”. Então, bora conferir a arquitetura neoclássica do prédio, seus quatro níveis, com banhos masculinos e femininos, duchas (inclusive a Vichy), saunas, sala de mecanoterapia (incrível, com equipamentos importados da Alemanha na década de 1920), setor de inalação, limpezas de pele, massagens corporais e faciais e deliciosos escalda-pés. E aí? Escolheu a sua terapia termal?

Dica: Que tal uma experiência num banho descrito por Rui Barbosa em uma das suas poesias: o banho de imersão dom água termal. Ele é feito com água sulfurosa a 37º C e dura 20 minutos. Tem ação sedativa, descongestionante, analgésica e vasodilatadora. Quer mais?

Você pode reservar datas nos meses das águas (de março a maio e de agosto a outubro) para sentir o poder das águas termais de Poços de Caldas sobre o seu corpo e mente ou todos os meses os meses do ano para aproveitar as fontes, as terapias das águas e todas as atrações na natureza da cidade. Considere as opções de hospedagens dos parceiros RDC  em Poços de Caldas e região. entre em contato com a nossa Central de Reservas.

Imagem capa: (Via Vinicius Tupinamba / Shutterstock.com)

Julio Castanheira

Excelentes dicas de um destino que realmente atende as expectativas de milhares de turistas.

27 de abril de 2017 | Responder
    Redação RDC

    Poços de Caldas é tudo de bom, não é mesmo Julio?

    27 de abril de 2017 | Responder

Deixe um comentário