Carregando...
''

Ponte JK, “a mais bela ponte do mundo”

Confira de perto a beleza dos arcos da Ponte JK. Vivencie a sensação de flutuar sobre o “mar de Brasília” caminhando, pedalando ou dirigindo sob os seus arcos. 

Inaugurada em 15 de dezembro de 2002, quando recebeu o título de “a mais bela ponte do mundo”, durante a 20.ª Conferência Internacional de Pontes, realizada em Pittsburgh (Estados Unidos), a Ponte JK tornou-se um dos cartões postais mais fotografados de Brasília.  É ponto de referência para acesso a várias atrações dos dois lados da cidade.

12-Post-BlogJK

A primeira atração é ela mesma, uma magnífica obra de arquitetura e engenharia estrategicamente erguida para ligar o Lago Sul, Paranoá e São Sebastião à área central de Brasília, através do Eixo Monumental, atravessando o Lago Paranoá.

.

Panorama da Ponte

Antes de curtir os panoramas vistos da Ponte, que tal apreciar a própria ponte de longe, vista de lugares diferentes? Um dos melhores pontos fica na área central de Brasília, às margens do Lago Paranoá, perto da Ilha dos Clubes. Ali estão instalados diversos bares e restaurantes com vista para a Ponte JK. Um dos restaurantes mais tradicionais é o Mangai, especializado em comidas nordestinas e brasileiras.

08-Post-restaurante-mangai

.

Descobrindo as belezas da Ponte JK

Primeiro, descubra por que o arquiteto Alexandre Chan foi premiado por esse projeto, considerado inovador. Atravesse a Ponte JK observando a sua beleza. Imagine os arcos como o movimento de uma pedra atirada sobre o lago, quicando sobre as águas do Paranoá. Perceba os arcos de raios longos, como eles se cruzam diagonalmente e parecem flutuar porque estão apoiados apenas em quatro pilares submersos no espelho d’água. Aproveite o zig zag da ponte sob o por do sol para conferir como as curvas em aço refletem as luzes. À noite, veja-a com o olhar do arquiteto que a desenhou. Ele também fez o projeto de iluminação da Ponte, direcionando efeitos de luz e sombras para realçar as formas e destacar detalhes inibidos à luz do dia ou escondidos na escuridão da noite.

Dica: A Ponte JK é conhecida pelos brasilienses como “terceira ponte”. Ela veio se juntar às outras duas que também ligam o Plano Piloto ao Lago Sul em pontos diferentes, a Ponte das Garças e a Ponte Costa e Silva.

.

Vista de cima, ela também flutua

Arregale os olhos, prepare-se para molhar os pés e não se esqueça de levar a máquina fotográfica. Tudo isso para você ver a Ponte JK do alto, voando num balão de ar quente, sentindo a adrenalina subir na hora do pouso no Lago Paranoá.

06-Post-ponte-vista-aerea

Menos radical, mas igualmente belo, você também pode curtir o cenário a bordo de um helicóptero para vistas que incluem o Parque da Cidade e o Lago Paranoá , sob a luz do sol ou da lua.

Dica: Confira com a RDC Viagens as empresas que oferecem esse tipo de passeio.

.

Apreciando arte e tomando café

Combine o cenário da Ponte JK ao de uma exposição de arte ou ao prazer de ler um bom livro rodeado de verde ou ainda de relaxar após uma sessão de yoga ao ar livre. Pois, além de promover essas atividades, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Brasília também as envolve de um jeito muito especial – no deck construído na área externa do café, com vista para os jardins e para a Ponte JK .

03-Post-ccbb

Dica: O espaço funciona às segundas e de quarta a sexta feira. Consulte os horários de cinema, teatro e outras atrações. A entrada para as exposições é franca. E o transporte é gratuito, do próprio CCBB, que passa pelo centro do Plano Piloto, pelos setores hoteleiros Sul e Norte e pela Universidade de Brasília . Confira!

.

Caminhando e pedalando sobre a Ponte

Aqueles que desejam conferir, passo a passo, o skyline do Eixo Monumental se afastando sob o lusco-fusco do por do sol, calcule o tempo e escolha atravessar os 1200 metros de extensão da Ponte JK a pé ou pedalando nas duas passarelas laterais, construídas especialmente para esse fim. Esta é única forma de parar na ponte para tirar fotos de vários ângulos.

01-Post-admirando-ponte-jk

Dica: Aproveite o horário estendido de verão, nesse período o Sol se põe por volta das 19h30min em Brasília. Se for pedalando, um ponto de encontro de ciclistas é no Lago Sul, no Posto Gasol da QL 02, que estimula a pedalada e oferece estrutura de apoio.

.

Por do sol do outro lado da Ponte

O por do sol também pode ser apreciado após atravessar a Ponte JK, no cenário do Parque Ecológico , que conta um cais, trilhas, pistas de skates e a icônica ermida Dom Bosco.  É justamente da ermida que podemos apreciar um dos mais fantásticos por do sol da cidade, acontecendo do outro lado da ponte: o sol desce atrás dos prédios do Eixo Monumental, desenhando a silhueta urbana de Brasília .

04-Post-emida-dom-bosco

Mas ali também é possível assistir Brasília integrada à natureza, deitado na grama do Parque, à margem do Paranoá, apreciando a despedida da luz do Sol e a chegada dos tons da noite descendo sobre a cidade-parque.

.

Na onda do Paranoá

Nada como vivenciar a cidade como um nativo, percorrendo os caminhos do seu cotidiano e desfrutando à sua maneira os prazeres do lugar. Ou seja, em Brasília, curta a cidade como um brasiliense. Você pode encontrá-los nos finais de semana, por exemplo, praticando muitos esportes náuticos na orla da Ponte JK. A área oferece atrativos para a criançada, como um parquinho de madeira, um calçadão para caminhadas e áreas para atividades ao ar livre.

13-Post-sup-lago-paranoa

A prainha da orla tem grama no lugar de areia, mas tem todo o clima para um bom banho de sol, fazer piquenique e até comemorações como na virada do ano novo.  Lá, é possível alugar caiaques e pranchas de stand-up paddle para aproveitar o lago nos fins de semanas e feriados.

Dica: O acesso à prainha é feito por um portão bem em frente ao Pontão do Lago Sul, ao lado da Ponte Costa e Silva.

O Paranoá tem cerca de oitenta quilômetros de perímetro e, além da “Prainha” , também abriga outra praia artificial, o chamado “Piscinão do Lago Norte”.

Ambas são mais bem aproveitadas no período de chuvas que se estende até meados de abril.

.

Na imensidão do Paranoá

Sentir o vento batendo no rosto. Imprimir velocidade sobre a água. Arriscar manobras radicais. Espaço é que não falta para praticar diferentes atividades náuticas no Paranoá : 48 quilômetros quadrados de extensão e 38 metros de profundidade . Você pode apreciar um passeio panorâmico a bordo de um catamarã que sai do Pontão do Lago Sul e segue navegando até Ponte JK, para um bate e volta bem tranquilo com direito a apreciar outros ângulos da cidade.

02-Post-catamara-brasilia

.

Brasília submersa, mergulhar é preciso

Se o mar guarda segredos de navios, embarcações , tesouros, cidades inteiras submersas, o Lago Paranoá guarda lá no fundo as ruínas da Vila Amaury, uma vila “dormitório”, local de morada de cerca de 16.000 pessoas que trabalhavam na construção de Brasília. A Vila foi inundada quando da formação do Lago Paranoá, com o represamento do Rio Paranoá e de outros que nele desaguavam, como o Gama, Torto, Bananal e Riacho Fundo. Quer aventura maior em plena urbanidade?

Dica: Scubadu promove mergulhos rumo às profundezas do Paranoá. O passeio inclui uma rápida aula sobre mergulho e submersão por uma hora e meia . Consulte a  RDC Viagens  para mais informações sobre receptivos em Brasília.

.

Pontão do Lago Sul

Escolha o Pontão do Lago Sul para a experiência de vivenciar um sofisticado parque urbano. São 134 mil metros quadrados às margens do Paranoá distribuídos em bares, restaurantes, quiosques, shows, eventos esportivos, parquinhos infantis etc. O acesso pode ser feito de carro ou lancha, aportando no píer.

05-Post-life-resort

Dica: Durante o dia, nos finais de semana, o Pontão recebe feiras de vestuário e, à noite, praticamente todos os bares e restaurantes oferecem música ao vivo. Especialidades do lugar: pratos com frutos do mar e saladas

.

Pescando no Paranoá

O Paranoá tem jeito de mar, com praia e tudo. Tem gente nadando, mergulhando, praticando canoagem, kitesurf, SUP (stand up padle). Lanchas, jet skis , barcos à vela deslizam sobre o “mar” de Brasília. E pescar também é possível.  Segundo os especialistas , tilápias, carpas e bagres podem ser pescados nas regiões da Península dos Ministros, da Ermida Dom Bosco, na Barragem do Paranoá e na região perto da Ponte do Bragueto, no Lago Norte.

.

Degustando na orla do Paranoá

Sair para um passeio de lancha ou de jet ski e dar uma paradinha para uns petiscos, ou mesmo almoçar , aportando num dos restaurantes da orla é uma experiência deliciosa que pode ser vivenciada em grupo ou num happy hour diferente.

07-Post-restaurane-liv-loundge

Dica: O Liv Lounge  é um restaurante que fica próximo à Ponte JK, dentro do Life Resort , e tem uma vista estupenda para o Lago Paranoá. É possível chegar até ele de lancha e desembarcando no píer do condomínio. Se for de automóvel, basta apresentar documento na portaria. Um carrinho de golfe irá transportá-lo até o restaurante.

.

Venha conhecer ou revisitar a aniversariante do dia! Confira as opções de hospedagem RDC em Brasília e consulte a nossa Central de Reservas para realizar sua reserva.

Conte também com os serviços da agência RDC Viagens para apoio, sugestão de roteiros, receptivos e outros serviços em Brasília.

Deixe um comentário