Carregando...
''
00-CAPA-paraty

Pousando em Paraty e passeando por Trindade

Antigamente, dizia-se um gole de paraty para uma dose de pinga – destilado famoso e tradicional dessa cidade na época do Brasil Colônia. Grandes figurões da coroa portuguesa circulavam em Paraty além do ouro trazido das cidades mineiras por meio da Estrada Real que migrava via mar às terras lusitanas.

E por esse mar, muita água rolou e testemunhou: até pirata ali teve. Uma combinação histórica, entre prédios tombados, calçamento em pedras irregulares e festivais que enaltecem tanto a literatura como a cachaça. Paraty é uma cidade abraçada pelo verde da mata Atlântica e o azul do Oceano Atlântico, que se dedica em receber turistas e contar um pouco dessa narrativa que faz parte da nossa própria história.

DICA: Para saber um pouco mais sobre a cidade histórica de Paraty, acesse nosso post: Paraty de ouro, alambiques, piratas, e onde a serra é do mar!

03-INTERNA-paraty

Chegar à Paraty não têm muitos mistérios, principalmente, por não ter mais ataques de piratas e com a abertura de algumas estradas, após longos anos esquecida. Você pode seguir tanto pela Rio-Santos quanto pela Dutra ou Tamoios. Outra opção de trajeto, que ajuda já entrar no clima da cidade, é pela Estrada Real, na cidade de Cunha em São Paulo. Vale a experiência e a vista, mas fique atento porque a estrada é estreita e sinuosa!

As acomodações da cidade são muito boas com uma estrutura hoteleira que contempla a todos os gostos. A RDC indica duas Pousadas para seus associados: Pousada do Corsário Paraty e a Pousada da Condessa. Ambas bem localizadas e cheias de charme, como a própria cidade.

Chegando, você encontrará um ambiente que preza pelo tempo, de preferência o mais lento, ideal para caminhar pelo centro histórico, absorver todos os signos contidos em cada esquina, igreja e arte. Visitar bristrôs, navegar de barco e curtir tudo que a cidade pode oferecer!

Entretanto, há muita coisa para ver fora de Paraty, e uma delas é Trindade. Motivos não faltam: cachoeiras, praias quase desertas e o melhor clima que lembra Woodstock com o estilo paz, amor e caiçara – claro, natureza.

Que tal fazer um bate e volta para Trindade e conhecer o outro lado mais roots de Paraty? Preparados?

01-INTERNA-paraty

.

Paz, amor e praia!

Trindade começou a ficar conhecida em meados dos anos 70 e 80, durante a explosão Flower Power a qual formou uma onda hippie, trazendo pranchas coloridas para surfar por aquelas águas. É uma pequena vila de pescadores simples que contradiz às riquezas de Paraty e convida a todos a relaxar na calmaria marota de suas praias.

Por anos, essa região ficou isolada do mundo e tornou-se um oásis perfeito para a galera da contracultura. Era proibido proibir, pelo menos naquela dobra de tempo que liga a geração passada com a de agora, em um sentido mais libertário. De uma forma ou de outra, a essência é viver de uma maneira mais simplória e o turismo tem a ver com essa leitura de mundo, pelo menos para esse contexto. Menos é mais, contemple a natureza e viva intensamente esses momentos.

Os anos foram passando e o DNA rústico permaneceu. Hoje, a pegada ecológica é o novo ‘maluco beleza’ e levado a sério. A proposta é ser sustentável e diminuir o impacto ambiental causado pelas ações do homem por quem vive por ali: antigos moradores, pescadores e estrangeiros apaixonados por esse lugar. Aos que visitam, o recado é o mesmo: cuide da natureza e desfrute dessa vibe.

.

Sair de Paraty logo cedo para aproveitar o passeio por Trindade é algo que vale a pena até aos dorminhocos.

Tome o café da manhã na pousada ou hotel e siga pela estrada durante 30 minutos até se surpreender na primeira parada.

Não tem como não se apaixonar à primeira vista logo na chegada. O sentimento nasce como uma ligação cósmica que já faz graças aos olhos. Chegamos à praia de Cepilho e já avistamos ondas fortes, feitas sob medida para os surfistas. Para os banhistas não é um lugar tão apropriado pela agitação do mar, contudo a faixa de praia e pedras dão a dica para contemplar a paisagem. Uma outra opção mais reservada e ideal para pegar uma onda é a Praia Brava. E não para por aí, tem cachoeira também. Mood perfeito.

Até quem não dispensa os carros, abrem a mão. Afinal, para explorar as praias é necessário enfrentar algumas trilhas a pé, que por sinal, tornam-se o ônus do passeio. Recomenda-se estacionar na Vila e conhecer as outras praias.

DICA: Na cidade de Paraty há uma companhia de Turismo que oferece passeios guiados para Trindade. Você sairá cedo da cidade e passará o dia percorrendo as melhores praias de Trindade.

.

¡Vamos a la playa!

A Praia do Rancho possui uma certa infraestrutura com quiosques, boa para reabastecer as energias para as próximas paradas. Uma dica bem interessante, Trindade também acolhe famílias com crianças e a Praia do Rancho é recomendado por possuir uma estrutura rústica, porém com banheiros e restaurantes.

A Praia Brava, como o nome diz, possui o mar um pouco arisco. A correnteza é forte, boa para a prática do surfe. Aproveite para contemplar a natureza e tirar algumas fotos pois a paisagem vale a pena. Está calor e não vê a hora de dar um tibum? Não desanime! Indo mata adentro, uma surpresa: a Cachoeira Brava -que de brava não tem nada. São duas quedas com aproximadamente 2 metros que se unem e formam a maior queda de 5 metros. Agora você pode lavar a alma na queda de uma cachoeira literalmente.

04-INTERNA-paraty

A Praia do Meio é bem movimentada e recebe esse nome por ser uma formação rochosa no mar que divide ao meio. Há quem prefira uma água doce e quedas de água, mas isso não é motivo para desistir de conhecer Trindade. Saindo da Praia do Meio, uma trilha tranquila leva até a Cachoeira dos Codós e a Pedra que Engole. Do lado, o Poço Fundo: queda d’água que cai em um poço rasinho e calmo.

A Pedra que Engole é encontrada dentro da mata, depois de passar por 40 minutos de trilha a partir da Praia do Meio. Para os corajosos, um desafio porque ela engole mesmo! Entre duas pedras, tem um espaço em que a pessoa pode escorregar até uma caverna, com uma mini piscina natural. Tudo isso acontece em segundos e é uma experiência que atraia a muitos.

Já percebeu que brotam trilhas em todas as praias que levam para outras praias mais incríveis? Trindade é dessas, uma surpresa a cada rumo diferente. Aqui, você vai encontrar um desses caminhos, que leva para Praia do Caixa D’aço (ou se preferir, Praia do Caxadaço) e a piscina natural Caixa D’aço, a principal atração de Trindade.

02-INTERNA-paraty

A Praia do Caixa D’aço tem um aspecto mais selvagem, com siris passeando pela praia e poucas pessoas por ali. A movimentação, no entanto, fica por conta da piscina natural.

Águas claras, mansas e cheias de peixinhos e corais. A piscina natural se renova com a maré e é um ponto forte para relaxar e curtir tudo que o Criador fez. Uma atmosfera de reconexão com o interior que ora pode ser cortada pela quantidade de pessoas que buscam por essa experiência também.

DICA: Para chegar à piscina natural, há duas rotas: caminhando 20 a 30 minutos pela trilha ou indo de barco. Se optar pela embarcação, os valores não são absurdos e você pode contemplar Trindade por outra perspectiva.

A Vila de Trindade se estruturou durante esses anos a fim de receber os visitantes com mais conforto, mas sem deixar de lado esse espírito mais livre que faz de Trindade o que ela é. Depois de um dia de passeios e contato com a natureza, chegou a hora de voltar à Paraty. Não se esqueça para tirar algumas fotos de recordação para querer voltar mais vezes!

Explorar o mundo é a missão da RDC com você e, para conhecer mais destinos, confira sempre no Blog! Aqui, você encontrará vários roteiros inspiradores para as suas próximas viagem. Programa-se com a RDC Férias, abra-se para novas experiências,  e se ainda não é associado, saiba como se tronar acessando nosso post: Plano de Férias Programadas, como-funciona?

Hélio Souza de Oliveira

Adorei PARATY E TRINDADE, ESTOU PENSANDO NAS FÉRIAS DE JANEIRO

28 de junho de 2018 | Responder
    Redação RDC

    Que legal, Hélio! Agradecemos o seu comentário! Conte com a gente e bom planejamento! :)

    28 de junho de 2018 | Responder

Deixe um comentário