Carregando...
''
capa

Primavera, tempo de ver, comer e até de beber flores.

Vem aí a primavera. Então, inspire-se. Que tal um roteiro de viagem completo, envolvendo integralmente as flores, inclusive seu sabor.

A mágica da estação mais bonita do ano é universal. Não há quem fique indiferente às paisagens que são criadas antes durante e depois da sua chegada. Sua entrada é triunfante em muitos países do mundo, como no Japão, por exemplo, com as festas da florada da cerejeira.

cerejeiras

Na Holanda, que explode em flores, com seus jardins de tulipas que parecem pinturas impressionistas. Paris sai literalmente às ruas naturalmente perfumadas pelos jardins e parques repletos de flores, com festivais de música ao ar livre ou festas como as Médiévales de Provins, cidade do século 13, próxima da capital, que promove  um dos mais importantes festivais da Europa do gênero.

campo-de-lavanda

No Brasil, já estamos aprendendo a curtir as estações do ano, especialmente a Primavera, até porque é difícil deixar de perceber como tudo fica mais bonito. Até as pessoas começam a se comportar diferente. Assim como as flores, se abrem com a luz do sol e se deixam levar pelo clima que se estabelece, zanzando por aí atrás de qualquer forma de alegria, como um “esquenta” para o verão.

Prova de que estamos mudando nosso olhar, mesmo “importando” festas de outras culturas, é o Holi Festival das Cores, que desde 2015 acontece em São Paulo no mês de setembro. Trata-se de uma festa popular realizada na Índia todos os anos entre fevereiro e março, em comemoração à entrada da primavera no continente asiático e que vem se propagando em vários países do mundo.

holi-festival-das-cores

A palavra “cores” que dá nome ao festival remete à tradição indiana de uma brincadeira que começa em casa, com pais e filhos atirando tintas das mais diversas cores uns nos outros, lembrando um ato milenar ocorrido num episódio da sua cultura e que acaba numa grande e animada festa de rua. Por aqui, a festa conta com momentos de meditação e yoga, além de música, bebida, comida vegetariana. Tudo salpicado por explosões de cores.

Temos por aqui também o nosso festival da cerejeira, que floresce entre julho e setembro. A Festa das Cerejeiras acontece em São Paulo, no início de agosto, desde 1978, no Parque do Carmo, zona leste de São Paulo, com shows de dança, música e barraquinhas de comida oriental.

Dica: O Parque do Carmo tem 1,5 milhão de metros quadrados e cerca de 6 mil árvores, entre cerejeiras, ipês e eucaliptos, lagos naturais, Museu do Meio Ambiente, anfiteatro, aparelhos de ginástica, campos de futebol, ciclovia, pista de cooper, playgrounds e espaços para piquenique, churrasqueira e quiosques.

ibirapuera

No Parque do Ibirapuera, na capital paulista, também é possível apreciar variedades de cerejeiras dentro do Pavilhão Japonês, onde encontram-se três tipos delas: Okinawa, Taiwan e Himalaia. Mesmo após o período da floração, o Pavilhão, inspirado no Palácio Katsura, em Kyoto, é ótimo local para curtir a primavera com estilo – oferece jardim com plantas e árvores ornamentais e um lago de carpas.

Também temos por aqui no Brasil nossos campos de lavandas. Nada que se compare aos famosos campos da Provence, no sul da França. As flores de lavanda desabrocham na passagem primavera-verão. Por lá, entre julho e início de agosto, por aqui, de outubro a dezembro. No entanto, dá para ver aquela paisagem lilás o ano todo no Le Jardin Parque de Lavanda, em Gramado, onde o jardim permanece florido independente da época de floração da lavanda. Em 3,5 hectares de um jardim belíssimo estão presentes espécies inéditas de lavandas no Brasil e outras flores. Ali, além de uma loja temática, há estufas de produção de flores e um delicioso café cuja especialidade é apfstrudell.

le-jardin-parque-das-lavandas

Dica: Um dos propósitos do parque é promover os benefícios terapêuticos, ornamentais e culinários da lavanda. Entrada gratuita. De 3ª. a domingo, das 9:30 às 17:30. Rodovia RS 115, n° 32.700 – Gramado.

Outra opção é o O Lavandário, em Cunha, cidade ceramista situada entre o Vale do Paraíba e o litoral, a 1200 metros de altitude. A espécie cultivada é a lavandula dentata, com floração o ano todo, por causa da poda rotativa. São 40 mil pés de lavandas plantados e a meta é chegar em 100 mil. No local encontra-se, além de produtos terapêuticos, óleos essenciais, serviços de massagens e experiências como aprender a plantar mudas, podar lavandas e acompanhar a destilação do óleo essencial. Vale provar também os biscoitos salgados e doces feitos com lavanda. Confira aqui algumas receitas.

biscoito-de-lavanda

 Dica: ingresso por pessoa é de R$10,00. Maiores de 60 anos pagam meia-entrada. Crianças até 12 anos não pagam. Estrada Cunha-Paraty, km 54, de sexta a domingo, das 10 da manhã até o pôr do sol.

Conhecer campos de flores é sempre um belo objetivo de viagem. E não apenas na primavera. Além do visual incrível, caminhar entre crisântemos, lisianthus, gerberas, crista de galo, rosas, girassóis, sentir o  perfume e admirar  suas cores é pura energia. Isso é possível em Holambra, a 120 km da capital de São Paulo. A entrada nas plantações é permitida apenas com guias credenciados e autorizados.flores-holambra

holambra

Dica: A 37° Expoflora, a maior exposição de flores e plantas ornamentais da América Latina, acontece todos os anos em Holambra entre os meses de agosto e setembro. Em 2017, de 25 de agosto a  24 de setembro, de sexta a domingo – das 9 às 19 horas.

E que tal sentir literalmente o sabor da primavera? Em Holambra, por exemplo, a Confeitaria Zoet en Zout oferece seu famoso doce de rosas, o criativo Viooltje (doce de violeta), o Orange Bloem, um doce com flor de laranjeiras que tem base crocante, mousse ao aroma de flor de laranjeiras e uma fina camada de chocolate branco ou o brigadeiro de colher com aroma de jasmim.
ViooltjeOrange-Bloem

A Folie, doceria em Pinheiros, São Paulo, criou macarons de primavera, como os de lichia com rosas, caju mais flor de laranjeira e lavanda e amendoim ao aroma de patchouli.

Para beber flores, bares e restaurantes do Rio resolveram comemorar a primavera com drinks em versões mais perfumadas e coloridas com a adição de flores como hibisco, rosas e camomila. Exemplo é o drink do restaurante Puro, o Mint Julep – infusão de flores de camomila e hibisco, Jack Daniel’s, hortelã e mel com raspa de laranja.

 

Se o seu propósito de viagem é curtir a primavera em todos os sentidos, conte com as opções de hospedagem e a flexibilidade do seu Plano RDC Férias e com a assessoria turística da RDC Viagens, a agência preferencial do associado.

Não deixe de conferir também as parcerias que seu Clube de Férias tem para você! Acesse www.rdc-ferias.com.br/parceiros e curta ainda mais a primavera com a Nova Flor e Cestas Michelli.

Deixe um comentário