Blog RDC Férias
Carregando...
''
capa

Rota cênica entre Puerto Varas e Bariloche

As melhores paisagens das duas patagônias, chilena e argentina, podem ser contempladas numa rota clássica “Travessia dos Lagos Andinos”, uma viagem panorâmica entre Puerto Varas, no Chile, e Bariloche, na Argentina. Um passeio que acompanha a Cordilheira dos Andes e todas as maravilhas que estão aos seus pés. Envolve cenários cênicos de lagos formados pelo degelo de glaciares, vulcões ativos em descanso na paisagem e que servem de mirantes; imensos lagos cor de esmeralda, quedas d’água dentro de parques preservados e uma belíssima fauna marinha e de animais selvagens e de coloridas flores patagônicas, como lupinus em tons violetas, fúcsias, azuis e brancas, que acompanham o caminho da Carreteira Austral na primavera.

puerto-varas

O passeio clássico é chamado “Cruce Andino” e pode partir de Puerto Varas ou de Bariloche. Sair de Puerto Varas é o mais recomendado, pois dá para apreciar a paisagem pela manhã, especialmente o vulcão Osorno, o maior espetáculo do trajeto, que acompanha a maioria dos cenários, e também porque ganha tempo, pois a imigração na Argentina é bem menos burocrática. Como não é exigido visto aos brasileiros, basta apresentar RG e ficar atento às regras em relação a transporte de objetos, sementes e alimentos.

vulcao-osorno

Dica: O trajeto inclui trechos de ônibus e de barco entre Puerto Varas e Bariloche. Consulte a RDC Viagens sobre esse e outros roteiros na região.

Puerto Varas, localizada a 1100 km de Santiago, é a cidade turística de onde partem os passeios aos Lagos Andinos. Fundada por imigrantes alemães em 1854, parece um cartão postal que lembra cenários europeus, com construções que revelam a influência da arquitetura germânica, como a Iglesia del Sagrado Corazón de Jesus, construída entre 1915 e 1918, inspirada nas igrejas de Baden-Wurtemberg, na Alemanha. Em 1992, a cidade foi declarada Monumento Nacional do Chile.

puerto-varas-01

Uma atração natural, pertinho do centro da cidade, a apenas 1 km, é Parque Phillippi, um ótimo passeio para se situar na região. Nele, um caminho termina a 30 metros de altura para uma vista espetacular da cidade, do Lago Llanquihue e dos vulcões Calbuco, Puntiagudo e do espetacular Osorno.

A 47 km do centro, o Parque Nacional Vicente Perez, uma área de 64 quilômetros quadrados, é perfeito para explorar as principais atrações da região. Abriga vulcões como Osorno, Puntiagudo e Tronador e lagos como Cayutúe e Todos Los Santos, além dos Saltos de Petrohué e vários bosques. Ótimo local para trekking, caminhadas, escaladas, para pedalar de bike, fazer canoagem nos lagos e outras atividades ao ar livre.

vulcao-tronador

À noite, aproveite a localização da cidade na maior região produtora de salmão “in natura” do Chile, para saborear a rica gastronomia local, que mistura culinária alemã, como bolos, e especialidades chilenas, como os frutos do mar, peixes de água gelada e as tradicionais empanadas, acompanhados dos deliciosos vinhos chilenos.

Dica: Se puder conciliar a data, aproveite o Dia do Kuchen (bolo alemão), uma festa que acontece todos os anos no primeiro sábado de fevereiro, que resgata as tradições dos colonizadores alemães, com degustação e venda de kuchenes na praça central da cidade.

A noite em Puerto Varas também reserva distrações adultas, com cassinos instalados em hotéis, como Cassino Dreams, no Hotel Dreams Los Volcanes, localizado em frente ao Lago Llanquihue. O vulcão Osorno e o Lago Llanquihue merecem ser explorados, não apenas vistos na paisagem – o que já é um espetáculo.

O Osorno oferece atrações o ano todo, depende do que deseja ver e fazer. Só a estrada que dá acesso ao Osorno já garante cenários espetaculares do vulcão visto de diferentes mirantes. No inverno, a pedida é esquiar na neve, pois abriga uma estação de esqui, com três teleféricos, sendo um de 250 metros e quadras de esqui que ficam abertas de maio até novembro. A estação ainda comporta cafeteria, lanchonete, banheiros etc. O teleférico também é usado nas demais estações para levar o visitante até 1450 metros, de onde é possível avistar a cratera secundária Roja e para uma vista espetacular do Lago Llinquehue e do vulcão Calbuco. A outra parada é a 1700 metros. Agasalhe-se, mesmo no verão. O formato de cone do Osorno lembra o Monte Fuji, do Japão, e assim como ele tem o topo eternamente nevado e também é um dos símbolos naturais do seu país. Tem 2.652 metros de altitude e pode ser visto praticamente de todos os pontos de Puerto Varas.     

lago-llanquihue

Dica: No verão é possível alugar um carro e fazer o percurso pela estrada asfaltada até o Centro de Apoio, a 1240 metros, onde fica a Estação base do teleférico.

Puerto Vara fica na margem sul do Lago Llanquihue, mas se tiver tempo, vale fazer um tour em volta do lago para grandes surpresas cênicas. São mais de 870 quilômetros quadrados de extensão, vegetação abundante e águas próprias para várias práticas de esportes aquáticos, como canoagem, esqui aquático, natação, pesca recreativa, vela, windsurfe etc.

Pelo caminho, confira o espetáculo das águas cor de esmeralda do Lago Todos Los Santos, que caem no Rio Petrouhé entre as rochas vulcânicas, formando saltos e belíssimas piscinas naturais.

Nas margens do Lago Llanquihue encontra-se um desfile de arquitetura alemã em cidades como Frutillar e Puerto Octay – perfeitas para conferir a história da região, com parada para fazer piquenique ou explorar a região cavalgando ou pedalando. Essas cidades podem ser visitadas num bate e volta, pegando um “Thaebus”, micro-ônibus que saem do centro de Puerto Varas.

Vale programar um passeio de catamarã pelo Lago Todos Los Santos, que por razões óbvias também é chamado de Lago Esmeralda, e navegar sobre suas águas cristalinas, conferindo a paisagem de montanhas nevadas, cascatas e a imponência dos vulcões, até chegar ao último povoado chileno, Peulla, aos pés da Cordilheira dos Andes, antes de chegar a Bariloche.

peulla

Dica: Em Peulla, explore as belezas naturais dessa ilha do Lago de Todos Los Santos, conhecendo as cascatas Gemela e Los Novios.

Puerto Frias, na fronteira com a Argentina é o local de embarque com destino a Puerto Alegre, cruzando o pequenino Lago Frias para chegar a Puerto Blest, navegando pelo Lago Nahuel Huapi. O caminho até Bariloche passa depois por Puerto Pañuelo

Dica: A imigração chilena se dá em Peulla e a imigração argentina em Puerto Frias.

Situado na Patagônia argentina, o Lago Nahuel Huap, com 550 km² de extensão, é margeado pelo Parque Nacional Nahuel Huap e é uma daquelas maravilhas formadas com o degelo de glaciais que merecem um passeio exclusivo. Entre suas águas de azul profundo formaram-se ilhas e paisagens de tirar o fôlego.

lago-nahuel-huapi

Dica: Uma atração imperdível em Bariloche é o passeio pelo Lago Nahuel Huap, com parada na Ilha Victoria e uma caminhada pelos bosques do Parque Nacional Los Arrayanes.

Conhecer a beleza dos Lagos Andinos e os cenários fotogênicos dos dois lados da Patagônia é uma experiência que merece um bom planejamento. Conte com a flexibilidade do seu Plano de Férias e com o apoio da RDC Viagens, a agência preferencial do Associado.

RDC Viagens
Segunda a sexta-feira das 8h às 19h30
Telefones: (11) 2172-0270 / 4096-0270
E-mail: agencia@rdcviagens.com.br

Deixe um comentário