Carregando...
''

Um roteiro para Morro de São Paulo

Morro de São Paulo está cravada na Ilha de Tinharé, no município- arquipélago de Cairu, na área conhecida como Costa do Dendê, que como o próprio nome sugere, é produtora do ícone do sabor baiano, o azeite de dendê e de outras mais sensações que só a Bahia pode oferecer: praias praticamente intocáveis, mar calmo, agito para todos os gostos e o sol brilhando.

 

São 248 km de distância que separam o continente do Morro de São Paulo, que desde seu nascimento, pelos idos de 1531, testemunhou inúmeros ataques de piratas e corsários, a entrada do Brasil na Segunda Guerra e o pôr do sol avistado do Forte. Bem-vindos ao Morro de São Paulo, um destino que vai deixar saudades!

Curiosidade: Muitas pessoas ficam confusas com as denominações do lugar: é Morro, Cairu ou Tinharé? Morro de São Paulo é um vilarejo da Ilha de Itanharé, que por sua vez pertence ao município de Cairu. Outra curiosidade: assim como Ilha Bella, a cidade é um município-arquipélago com outras 26 ilhas.

 

Uma história além das praias

A história de Morro de São Paulo confunde-se com a do Brasil, com os primeiros portugueses, especificamente com o navegador Martins Afonso de Souza. Durante séculos, essa área foi alvo de muita cobiça e de invasões, por servir de ponto estratégico de proteção à capital da colônia.  Daí a necessidade de se erguer uma fortaleza, farol e um arsenal voltado para o leste, a fim de proteger as suas praias. A fortaleza, que hoje encontra-se em ruínas, começou a ser elaborada no século XVII, enquanto o Farol entre os anos de 1848 e 1855, com o intuito de levar comunicação e luz às embarcações.

Como toda cidade, a igreja está no centro. A Igreja Nossa Senhora da Luz foi erguida em 1628, em estilo barroco. E não se pode esquecer de seus arcos nas entradas da cidade, que mais parecem portais temporais. Eles começaram a ser erguidos no século XVIII.

Contudo, um fato que marcou bem os moradores de Morro e de todo Brasil aconteceu em 1942. O mundo estava em Guerra, Aliados contra o Eixo Alemão. Neste momento, o Brasil já tinha rompido economicamente com a Alemanha e exportava borracha aos Estados Unidos. Contudo, ainda era uma nação considerada neutra e não tinha motivos para entrar na guerra. Mas, como tradicionalmente dizem, agosto é o mês do desgosto, e não fez-se diferente naquele ano, 6 embarcações foram afundadas pelos torpedos alemães em 4 dias. Dessas vítimas, a embarcação de civis Itagiba, que passava pela Primeira Praia em Morro de São Paulo foi atingida, sobrevivendo 4 passageiros, uma delas uma menina de 4 anos que sobreviveu por permanecer cerca de 4 horas boiando sobre uma lata de leite condessado.

Primeiras dicas

Quem vai ao Morro de São Paulo procura por praia, sol e entender o que a baiana tem. Encontra tudo isso e muito mais! Porém, é importante alertar aos viajantes que por lá não tem espaço para a preguiça: praia movimentada, mar para peixe e práticas de esportes náuticos e festas à noite. Todos os dias tem um evento diferente para experimentar o lugar! Também é importante salientar que o ideal é passar pelo menos 3 dias na ilha, para poder provar esse tempero que seduz tantos gringos e perceber porque o lugar ganha o nome de Morro da Saudade.

 

Como chegar em Morro de São Paulo

Para chegar ao Morro de São Paulo tem que atravessar o mar. Já adianto que não é tão fácil assim, mas compensador. São três opções para fazer esse deslocamento: marítimo, semi-marítimo e aéreo. Há agências que disponibilizam o transfer desde o aeroporto, no entanto é preciso agendar previamente, conforme a disponibilidade de horários diários.

Dica: Antes de embarcar na viagem, é bom pensar na sua bagagem. Para Morro de São Paulo o ideal é levar pouca bagagem, apenas o essencial para a quantidade de dias que irá passar por lá, por três motivos: não tem muito espaço nas lanchas ou catamarãs, em Morro de São Paulo não transita tantos carros ( a não ser alguns jipes e táxis) e há muitas ladeiras.

 

O marítimo: lancha ou catamarã

É a forma mais utilizada para se fazer a travessia, embora não recomendada para quem enjoa fácil com o vai-e-vem do mar e para crianças. Pode ser feita por lanchas ou catamarã e leva cerca de duas horas para chegar. Os valores estão entorno de 90 a 100 reais por pessoa e saem do terminal marítimo de Salvador, em frente ao Mercado Modelo, não tem erro.

Semi-terrestre: Ferry-boat/ catamarã + ônibus + lancha/ catamarã

Outra opção muito utilizada, a mais barata e a que demora mais. Do Terminal Marítimo de São Joaquim, vá de ferry-boat até  a Ilha de Itaparica, no terminal Bom Despacho. Lá, vá de ônibus até Valença, para depois embarcar nas lanchas para o Morro.

Aéreo

O táxi aéreo é o mais rápido e mais confortável que as demais opções acima, embora seja o mais caro. Essa modalidade possui 3 horários diários.

ATENÇÃO: Todos que chegam à ilha devem pagar a Taxa de Proteção Ambiental de R$ 15.

 

Chegando na Ilha

Em terra firme, já em Morro de São Paulo, o desembarque é no píer próximo ao centro da vila. Há vários carregadores de bagagens munidos de carrinhos de mão, chamados de táxis. Eles cobram com base na distância da pousada ou hotel e quantidade de malas, com valores que variam entre R$ 20 a R$ 40.

Passeio em Morro de São Paulo

O destino é bem certeiro no que irá se encontrar por lá: praia. São elas: a Primeira, a Segunda, a Terceira, a Quarta e a Quinta, também conhecida como Praia do Encanto. Para entender melhor, leve essa regra com você: as duas primeiras são as mais movimentadas, inclusive a Segunda é o centro gravitacional do agito em Morro. As demais vão ficando mais “desertas” gradativamente.

Primeira Praia – É a praia mais frequentada pelos moradores, com casas que abrem as janelas para o mar e um centrinho próximo. É o point dos surfistas, pois o mar aqui é mais movimentado, ideal para tirar aquela onda. Também tem mar para mergulho e práticas de esportes náuticos.

Segunda Praia – É nessa praia que tudo acontece e se encontra todo mundo. Há restaurantes, bares e cadeiras espalhadas por sua extensão. Além do mais, o dia não acaba com a partida do sol, pois a noite reserva festas e mais festas – algumas, inclusive, acontecem na própria areia com os luaus. Não se preocupe com a distância, são 10 minutinhos de distância do centrinho.

Terceira Praia – Para chegar nessa praia, é preciso se atentar a maré. Quando cheia, o caminho pela areia praticamente desaparece, sobrando um pedaço mais elevado para passar. Os recifes de corais atraem uma variedade de cardumes da fauna marítima local, que deixa qualquer mergulho melhor ainda. Daqui ainda dá para seguir até a Ilha de Caitá remando,  de Stand Up Paddle ou nadando, para ter uma visão da natureza sem igual.

Quarta Praia – Mais selvagem que as demais e mais tranquila também. Aqui quase não há estrutura, um passeio bem roots. Para quem está disposto a caminhar os 2 km que a separam do centrinho da vila, um presente: piscinas naturais quando a maré está baixa.

Quinta Praia ou Praia do Encanto – Tecnicamente essa praia é a continuação da Quarta Praia. Possui a maior extensão de areia em relação às demais e uma alternativa interessante e charmosa para acessá-la: ir de charrete. Não possui muita estrutura, mas a natureza é uma boa opção para desconectar e recarregar as energias. Ela se encontra numa área de proteção ambiental, com a Mata Atlântica dando as caras e o seu verde.

Passeios por Morro de São Paulo

Pôr do Sol do Forte

O Forte é um ponto turístico que deve ser visitado. Construído no século XVII para proteger a região da invasão holandesa, a Fortaleza de Tapirandu está em ruínas e desativada, mas hoje oferece um lindo espetáculo: o pôr do sol.

Mirante do Farol

O por do sol é uma atração decretada em Morro de São Paulo e outra opção para se despedir do astro rei é no Mirante do Farol. Aproveite a visita ao Farol e siga pelas trilhas sinalizadas até o mirante!

Dica: a Toca do Morcego! É uma mistura de lounge e bar, com gente bonita, ambiente rústico e música boa. É um local cobiçado para quem quer assistir o por do sol em grande estilo. Aliás, vale lembrar que é bom chegar cedo para garantir um lugar.

Tirolesa

Esse passeio é direcionados aos aventureiros de plantão que não dispensam uma dose de adrenalina. Já pensou em ter uma vista panorâmica de Morro de São Paulo e de quebra deslizar até o mar? Para experimentar esse friozinho na barriga é preciso ir ao mirante construído ao lado do Farol e descer até as águas da Primeira Praia.

Dar a volta na Ilha de Tinharé

Para quem tem pouco tempo para conhecer os encantos de Morro de São Paulo essa é uma boa alternativa de passeio. É preciso reservar um dia inteiro para esse passeio de barco que sai da Terceira Praia ou do cais logo cedo. Você tem a opção de ir parando em cada cantinho da ilha, como a Praia do Encanto, Moreré, Praia da Cueira, Cairú, as piscinas de Guarapuá ou fazer um batidão. Claro que a primeira alternativa é a mais indicada!

Caminhada até Gamboa

São 45 minutos de caminhada que vale a pena pela natureza praticamente intocável. Esse pedaço da costa é rústica e frequentada por pescadores e alguns turistas perdidos. Durante esse trajeto, você encontrará a maior reserva de bromélias da Bahia e recortes de mata.

Atenção: Leve bastante água para não desidratar e perder as férias!

Feira de Artesanato

Todos os dias, na Praça Aureliano Lima, às 18 horas é montada uma feira de artesanato com artistas locais. Um passeio bem gostoso, cheio de cor e tradição.

Vida noturna

Há vida depois que o sol se vai em Morro de São Paulo, aliás, todos os dias uma vibe diferente para curtir mais ainda o vilarejo. O pico é na Segunda Praia, com o Caminho da Praia e suas barracas salpicadas de turistas – muitos deles são estrangeiros. Toda segunda e quinta-feira tem luau nessa praia e uma oportunidade de conhecer as pessoas e sentir a brisa da noite.

Morro de São Paulo é uma atração disposta a receber durante o ano todo qualquer um que queira descobrir suas belezas, entender o porquê quem o procura o chama de Morro da Saudade e experimentar os sabores da Bahia.

Já está se imaginando lá? Acesse nosso site e confira mais informações de atrações e hotéis em Morro de São Paulo.

 

Leia também: 5 passos para realizar a sua reserva na RDC Férias

Gostou, não é associado e quer se juntar ao Clube? Acesse nosso site e entre em SEJA ASSOCIADO! Comece agora mesmo a planejar suas férias.

lUANA

uAu! JÁ QUERO IR!

28 de novembro de 2018 | Responder
    Redação RDC

    Conte com a gente, Luana! <3

    29 de novembro de 2018 | Responder

Deixe um comentário